Início Site

TSE permite Forças Armadas em 98 cidades do Maranhão nas eleições municipais

0

Nesta terça-feira (27) o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu acatar os pedidos de apoio das Forças Armadas para a garantia da segurança no primeiro turno das Eleições Municipais de 2020, que estão marcadas para 15 de novembro.

Os ministros da Corte atenderam requerimentos já aprovados pelos Tribunais Regionais Eleitorais e pelos governos estaduais para atuação da Força Federal no Acre (20 municípios), no Amazonas (31 municípios), em Mato Grosso (6 municípios), no Pará (72 municípios), no Rio Grande do Norte (114 municípios) e em Tocantins (7 municípios).

De acordo com o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, o objetivo desse auxílio é garantir que o processo eleitoral transcorra de forma ordeira e tranquila, além de assegurar o cumprimento de determinações legais do pleito eleitoral, conforme previsto no inciso 14 do artigo 23 do Código Eleitoral.

A utilização das Forças Federais em uma eleição tem como objetivo garantir o livre exercício do voto, a normalidade das eleições e a apuração dos resultados nos municípios que precisam fortalecer a segurança pública.

Por exemplo, no primeiro turno das eleições gerais de 2018, o TSE aprovou o envio de forças da EFF para 510 localidades em 11 estados. Nas eleições municipais de 2016, o tribunal aprovou pedido de envio de tropas federais a 467 localidades em 14 estados.

Confira a lista dos municípios maranhense que receberão o apoio

  • Boa Vista do Gurupi
  • Centro Novo do Maranhão
  • Junco do Maranhão
  • Maracaçumé
  • Centro do Guilherme
  • Governador Nunes Freire
  • Maranhãozinho
  • Montes Altos
  • Formosa da Serra Negra
  • Pedro do Rosário
  • Presidente Sarney
  • Bacuri
  • Barra do Corda
  • Gonçalves Dias
  • Graça Aranha
  • Bequimão
  • Peri Mirim
  • Água Doce Do Maranhão
  • Araioses
  • Bacabal
  • Cururupu
  • Grajaú
  • Itaipava do Grajaú
  • Benedito Leite
  • Nova Iorque
  • Santa Rita
  • Cajari
  • Brejo Santa Quitéria
  • Buriti
  • Carolina
  • Afonso Cunha
  • Colinas
  • Humberto de Campos
  • Primeira Cruz
  • Santo Amaro do Maranhão
  • Sambaíba
  • São Raimundo das Mangabeiras
  • Alto Alegre do Maranhão
  • Parnarama
  • Pinheiro
  • São Bento
  • Turiaçu
  • Chapadinha
  • Mata Roma
  • Buriti Bravo
  • Penalva
  • Porto Franco
  • São João do Paraíso
  • São José de Ribamar
  • Dom Pedro
  • São Bernardo
  • Joselândia
  • Presidente Dutra
  • São José dos Basílios
  • Barreirinhas
  • Santa Inês
  • Fortuna
  • Governador Luiz Rocha
  • São Domingos Do Maranhão
  • Esperantinópolis
  • Poção de Pedras
  • São Raimundo do Doca Bezerra
  • Loreto
  • São Domingos do Azeitão
  • Cajapió
  • São João Batista
  • São Vicente Ferrer
  • Amapá do Maranhão
  • Cândido Mendes
  • Godofredo Viana
  • Bom Lugar
  • Igarape Grande
  • Alto Alegre do Pindaré
  • Santa Luzia
  • Mirador
  • Sucupira Do Norte
  • São Benedito do Rio Preto
  • Urbano Santos
  • Lago da Pedra
  • Bela Vista do Maranhão
  • Santa Filomena do Maranhão
  • Tuntum
  • Nova Olinda do Maranhão
  • Santa Luzia do Paruá

MA pagou mais que o dobro da média nacional por respiradores nunca entregues

0

Uma auditoria realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU) e utilizada pela auditora estadual de Controle Externo Aline Vieira Garreto para embasar relatório de instrução apresentado ao conselheiro Antônio Blecaute, do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA), aponta que o Governo do Maranhão, em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), pagou mais que o dobro do valor médio pago nacionalmente pela compra de 70 respiradores que nunca chegaram aos hospitais do estado.

O caso está sendo analisado em procedimento de controle pela Corte de Contas e o parecer da auditora é pela conversão do processo em Tomada de Contas Especial, “em face da gravidade das irregularidades apontadas”.

Segundo a CGU – que iniciou pesquisa de preços no dia 15 de abril -, em compras efetuadas por estados e municípios o preço médio pago por respirador mecânico foi de R$ 87 mil.

“A CGU analisou compras de 377 entes federados, e em torno de 75% das aquisições realizadas foram de até R$ 135.000,00 por respirador”, destacou Garreto.

O Maranhão, contudo, pagou quase R$ 200 mil, em média, por cada um dos aparelhos, que sequer foram entregues, nas malfadadas tentativas de compra realizadas por intermédio do Consórcio Nordeste.

No primeiro negócio, de R$ 4,9 milhões, cada um dos 30 respiradores custou R$ R$ 164.917,86. O dinheiro foi integralmente pago à HempCare Pharma, e nunca devolvido aos cofres públicos.

No segundo caso, o valor subiu: cada aparelho saiu pela bagatela de R$ 218.592,00 – desta feita, houve devolução do recurso, mas com prejuízo de R$ 490 mil ao Maranhão.

“Os valores negociados pelo Consórcio Nordeste nas duas aquisições foram bem elevados, cabendo ao Estado que foi o repassador dos recursos também motivar e demonstrar o porquê de ter optado por essas aquisições via Consórcio, já que não se mostraram economicamente vantajosas (no primeiro contrato de rateio R$ 164.917,86 e no segundo contrato R$ 218.592,00 por unidade de respirador)”, destacou a auditora do TCE-MA.

Descuido

Ao opinar pela abertura de uma Tomada de Contas Especial para se apurar responsabilidade no caso, a auditoria Aline Garreto teceu duras críticas ao que considerou “descuido” de agentes da Secretaria de Estado da Saúde (SES) com o dinheiro público no caso.

A menção à falta de diligência da pasta foi feita ao se analisar a primeira tentativa de compra dos equipamentos. Na ocasião, o Governo do Maranhão pagou de forma antecipada R$ 4,9 milhões ao Consórcio Nordeste para a aquisição de 30 respiradores – R$ 164 mil por unidade -, mas os aparelhos nunca chegaram e o dinheiro não foi devolvido.

Para a auditora, o Estado deveria “ter sido mais previdente” ao repassar os valores ao Consórcio. Ela apontou que a empresa contratada, HempCare Pharma, fora criada meses antes do início da pandemia, e com capital social de apenas R$ 100 mil.

“Nesses pareceres emitidos no âmbito da Secretaria de Saúde Estadual, nada disso foi analisado: preço, escolha do fornecedor pelo Consórcio, garantias e cuidados que deveriam ser adotados para pagamento antecipado. No relatório inicial deste TCE/MA (item 3.8.1) consta que a empresa HEMPCARE, escolhida pelo Consórcio, foi constituída em junho de 2019, com capital inicial de R$ 100.000,00 (cem mil reais). Que experiência/confiabilidade uma empresa tão nova no mercado tinha para uma transação desse porte? As condições do mercado no período de pandemia impuseram condições extremas, mas não é justificativa pra se agir de forma descuidada com o dinheiro público, olvidando-se de adotar cautelas para evitar danos ao erário. E os entes consorciados tinham que ter sido mais previdentes, ter conhecido e avaliado melhor os termos e tratativas do Consórcio com o pretenso fornecedor antes de liberar o recurso para o pagamento antecipado”, destacou.

No segundo caso – que culminou com o pagamento, também de forma antecipada, de R$ 4,3 milhões por outros 40 respiradores (R$ 218 mil por unidade) -, o dinheiro foi devolvido ao Estado. Mas como a compra foi efetivada em Euro, no ato da devolução houve deságio de R$ 493 mil, decorrente de variação cambial.

Para a auditora, esse valor deve ser ressarcido. “O defendente [SES] também não indicou que providências foram adotadas no sentido de cobrar ações do Consórcio para reaver essa diferença. Portanto no âmbito do Contrato de Rateio nº 002/2020, persiste um prejuízo no montante de R$ 493.933,69 […] que devem ser ressarcidos ao Estado do Maranhão”, pontuou.

Acrescentando, mais, uma vez, que houve desleixo da SES em relação ao acompanhamento da contratação pelo colegiado.

“O valor unitário do respirador nesse segundo contrato de rateio foi de R$ 218.592,00 por unidade de respirador. E mais uma vez não ficou demonstrado pela defesa que a Secretaria de Saúde fez qualquer ponderação acerca do preço e do fornecedor escolhido pelo Consórcio antes de transferir o recurso, ainda mais considerando que os respiradores do primeiro contrato de rateio ainda nem tinham sido recebidos nas datas contratualmente estabelecidas”, completou.

A auditoria ressaltou também que faltou transparência, já que os contratos e os pagamentos não estavam corretamente inseridos no Portal da Transparência do Governo do Maranhão, tampouco haviam sido disponibilizados no Sistema de Acompanhamento Eletrônico de Contratação Pública (Sacop) do TCE-MA.

Pai é preso acusado de estuprar e engravidar a própria filha em São Luís

0
A criança era violentada desde os 9 anos de idade, e aos 13 engravidou

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA) prendeu preventivamente, nesta quarta-feira (28), um homem de 46 anos (que não teve o nome divulgado), suspeito de estuprar e engravidar a própria filha. O crime aconteceu no bairro São Francisco, na capital.

De acordo com a Delegacia da Criança e do Adolescente (DPCA), os abusos começaram quando a vítima tinha 9 anos. Aos 13 anos, a menina ficou grávida. Atualmente, a filha da vítima com o suspeito está com dois anos de idade.

Segundo a Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), a paternidade foi comprovada por meio de exame de sangue. O suspeito deve ser indiciado por estupro de vulnerável.

Após a prisão, o homem foi encaminhado ao Complexo Penitenciário de São Luís, onde ficará à disposição da Justiça.

Ministério Público abre investigação para apurar suspeita de fraude em contratos de R$ 4,7 milhões na gestão Marcio Pontes

0

O Ministério Público abriu investigação para apurar supostas irregularidades nos contratos selados entre a prefeitura de São Felix de Balsas e a empresa TCC Transportes Eireli.

O Inquérito nº 06/2020 foi aberto por meio da Portaria de nº 15/2020 assinada pelo Promotor de Justiça titular da Comarca de Loreto, Nilceu Celso Garbim Júnior.

No documento, o Promotor diz que as investigações começaram após uma representação formulada à Promotoria de Justiça quanto as contratações da empresa de CNPJ nº 27.272.055/00001-07 durante a gestão do atual prefeito Marcio Dias Pontes.

O Promotor Nilceu alega que “a imprescindibilidade de colher maiores informações acerca dos fatos, vez que a documentação acostada aos autos ainda não é suficiente para que se forme um juízo seguro de valor acerca da suposta conduta irregular objeto da representação, necessitando-se de diligências afim de se serem colhidos maiores elementos de convicção”.

De acordo com o Ministério Público, o Inquérito Civil visa a coleta de informações, depoimentos, certidões, perícias e demais diligências que se fizerem necessárias para a tomada de providências, em sendo o caso, nos termos da lei, determinando.

O Promotor pede ainda juntada aos autos de cópias de todos os procedimentos licitatórios da empresa com a prefeitura. Ao todo são sete, dois selados em 2017, três em 2018 e dois em 2019, que juntos somam R$ 4.715.361,25 (quatro milhões, setecentos e quinze mil, trezentos e sessenta e um reais e vinte e cinco centavos) em contratos entre as partes.

O Ministério Público solicita, ainda, a elaboração de relatório acerca da estrutura física e de pessoal da empresa TCC Transportes Eireli, a fim de que seja verificada sua real capacidade técnica e financeira para participação em procedimentos licitatórios.

A empresa está registrada na Travessa Chico Batateiras, 20, Centro de São Felix de Balsas e está em nome de Juacy Ananias Pinheiro, com capital social de R$104.500,00 (cento e quatro mil e quinhentos reais).

Nilceu Celso Garbim Júnior quer saber, também, da Receita Federal e da Secretaria do Estado da Fazenda, se a empresa TCC pagou os devidos tributos federais e estaduais resultantes dos contratos de R$ 4,7 milhões para a prestação dos serviços de (1) locação de veículos leves; (2) locação de veículos para transporte escolar; (3) contratação de serviço de limpeza urbana; (4) locação horas máquina e equipamentos pesados; (5) fornecimento de materiais de construção e (6) construção de quadra poliesportiva.

Foi solicitado também as notas fiscais emitidas pela empresa e que os dois responsáveis pelas assinaturas dos contratos, no caso, Taís Cardoso Carneiro (primeira dona da TCC) e Juacy Ananias Pinheiro (atual dono da empresa), compareçam à Promotoria de Justiça para prestar depoimento acerca dos fatos em investigação.

CLIQUE AQUI E CONFIRA OS CONTRATOS DA TCC COM A PREFEITURA

MP Eleitoral recomenda que candidatos de Paço do Lumiar respeitem normas sanitárias

0

Após vários episódios de total desrespeito às regras sanitárias em Paço do Lumiar, como nas atividades de campanha do candidato Fred Campos, o Ministério Público Eleitoral decidiu agir.

O MPE emitiu recomendação aos candidatos e Partidos Políticos pertencentes à 93ª Zona Eleitoral, que abrange o município-sede de Paço do Lumiar e o de Raposa, para que obedeçam às medidas higienicossanitárias durante a campanha eleitoral e no dia das eleições, contribuindo para minimizar os riscos à saúde pública e garantindo a normalidade do pleito e a segurança do voto.

A promotora de justiça Nadja Veloso Cerqueira, que atua junto à 93ª zona, tomando como base a Portaria PGE 01/2020 do Ministério Público Eleitoral, pontuou que as medidas são necessárias para a prevenção de contágio pelo novo coronavírus (Covid-19).

Entre as medidas recomendadas estão evitar eventos que ocasionem aglomeração de pessoas, como caminhadas, carreatas, comícios, reuniões, caso ocorram, que seja cumprido o distanciamento físico entre os participantes; investir em propaganda digital (redes sociais, aplicativos etc), em detrimento do uso de material impresso (santinhos, panfletos etc), evitando o contato com papéis; observar os cuidados sanitários nos comitês ou locais de reuniões político-partidárias, como distanciamento entre as pessoas, uso de máscaras faciais, disponibilização de álcool em gel para higienização das mãos; evitar o contato físico com o eleitor.

O documento orienta, ainda, que deve ser evitado o oferecimento de comidas e bebidas nos eventos presenciais, ante o risco por manuseio de alimentos e retirada das máscaras para comer; água potável pode ser disponibilizada em copos ou garrafas individuais; deve evitar-se, nas reuniões e comitês, a presença de crianças, adolescentes menores de 1 6 anos e pessoas do grupo de risco da Covid-19; nos comitês e locais de reuniões, deve-se realizar higienização frequente e desinfecção de banheiros e instalações, antes, durante e após eventos com hipoclorito de sódio de 0,1 a 0,5%, através de borrifação na altura de 1,80 metro (diluição de 250 ml de água sanitária para 750 ml de água).

Descumprimento

Em caso de descumprimento das recomendações, há duas possibilidades a serem adotadas pelo Ministério Público Eleitoral: se os fatos se caracterizarem como ilícitos eleitorais e simultaneamente sanitários, pode ser ajuizada representação perante a Justiça Eleitoral, com solicitação do exercício do poder de polícia e, quando for o caso, multa, além do compartilhamento das informações com o membro oficiante na área de saúde para as providências cabíveis.

E quando os fatos configurarem ilícitos sanitários, mas não eleitorais, deverá ser feita a comunicação ao membro do MP com atuação na área de saúde, para adoção das providências cabíveis quanto à inobservância das normas sanitárias.

O teor da Recomendação teve cópias enviadas ao Juízo Eleitoral; à Procuradoria Regional Eleitoral; e aos candidatos e partidos políticos que disputam o pleito na 93ª zona eleitoral.

Em respeito a autistas e animais, Neto Evangelista proíbe uso de fogos na sua campanha

0
Neto Evangelista e Fábio Câmara durante ato político na capital

O candidato a prefeito de São Luís, Neto Evangelista (DEM), declarou em suas redes sociais que proibiu o uso de fogos nos eventos da sua campanha eleitoral, em respeito as pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e também aos animais. Durante sua fala, o candidato pediu também que os candidatos a vereadores de sua coligação façam o mesmo.

“Quero reforçar o compromisso assumido nesta semana de não utilizar foguetes em nossas agendas de campanha em respeito as pessoas e especialmente aos autistas e animais de estimação, que são muito sensíveis ao barulho. Peço que os candidatos a vereadores da nossa coligação também façam o mesmo”, disse o candidato, que possui em seu Plano de Governo diversas ações em prol das pessoas com TEA.

Atendimento focado aos mais vulneráveis

De acordo com Neto Evangelista, a criação de uma Coordenação Intersetorial de Cuidado das Pessoas com Transtorno do Espectro Autista será responsável pela implantação de uma política transversal com cuidado especializado de atenção a esse público.

“Ações nas áreas de esporte, educação, segurança e programas que visem a inclusão social serão realidade na vida dessas pessoas”, explicou Neto Evangelista, que fará parcerias para utilização de espaços esportivos em prol do desenvolvimento de atividades físicas para as pessoas com TEA, como atividades de equoterapia em parceria com a Polícia Militar.

Neto prometeu ainda, disseminar o conhecimento sobre a metodologia da Análise Aplicada ao Comportamento (ABA) nas redes de educação e saúde do município. O município será reestruturado para atender às regulações sobre o diagnóstico precoce dessas pessoas, que terão a disponibilidade de consultas psiquiátricas, neuropediátricas e neuropsiquiátricas na rede municipal de saúde.

“Precisamos estimular políticas que melhorem a qualidade de vida dos autistas, todas essas ações e a implantação do projeto “Vivências Assistidas”, irão proporcionar atenção e cuidados a essas pessoas”, enfatizou Evangelista.

Ildon Marques tem candidatura indeferida pela Justiça

0

O empresário Ildon Marques, teve sua candidatura a prefeito indeferida pela Justiça Eleitoral. Ele concorria ao cargo de prefeito de Imperatriz pela coligação “Juntos por Imperatriz’, composta pelos partidos Patriota, DC, PV, Avante, Pros, PP, Cidadania e PSD.

Em 2018, Ildon também teve a candidatura indeferida, mas recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que na ocasião manteve a decisão do TRE e os votos que ele conquistou nessa eleição foram cancelados.

No último dia 3, a Promotoria Eleitoral da 33ª Zona de Imperatriz ingressou com Ação de Impugnação de Registro de Candidatura contra o candidato a prefeito Ildon Marques (Partido Progressista).

A sentença foi promulgada no domingo (25), pela juíza Edilza Barros Ferreira Lopes Viégas, titular da 33ª Zona Eleitoral da comarca de Imperatriz, que considerou Ildon inapto para concorrer ao pleito eleitoral.

Para o advogado Eduardo Gomes, do escritório Rêgo Carvalho Gomes, a juíza apenas reconheceu a inelegibilidade do candidato a prefeito, pois o mesmo já havia sido condenado por enriquecimento ilícito e dano ao erário durante o seu mandato como prefeito em Imperatriz.

“A decisão da Juíza de Imperatriz reconhece a inelegibilidade de Ildon Marques em decorrência da prática de ato de improbidade que ocasionou enriquecimento ilícito e dano ao erário durante o seu mandato como prefeito de Imperatriz”.

Candidato a vereador, Regivan Soares, é preso por agredir companheira em Imperatriz

0
Regivan Soares de Sousa era candidato a vereador de Imperatriz pelo Patriota, e esta não foi a primeira vez que ele agrediu a companheira

O candidato a vereador Regivan Soares de Sousa, do Patriota, foi preso em flagrante pela Polícia Militar após agredir a esposa na noite deste domingo (25) em um município de Imperatriz.

A PM recebeu várias denúncias de vizinhos do casal sobre as agressões que estavam acontecendo e quando a guarnição se deslocou até o endereço informado, no bairro Vila Jardim, encontrou a mulher aos prantos, com marcas de violência no braço e no rosto.

Os vizinhos relataram ainda que a criança, filha do casal, presencia as brigas constantes e é quem sempre pede socorro, para proteger a mãe. O suspeito estava no quintal da casa e foi detido pelos policiais e levado à delegacia.

Em depoimento, a mulher também relatou o comportamento agressivo do marido e a reincidência com que as agressões aconteciam, mas ela nunca teve coragem de denunciar.

“Ela foi agredida na gengiva e jogada ao chão, apresentando escoriações no braço. A vizinhança narrou essa situação e ligou pro CIOPS, de imediato a Polícia Militar foi até o local e constatou a situação e fez a prisão. É importante consignar que qualquer um pode denunciar às autoridades as situações de violência doméstica, mas não só as situações referidas ao companheiro, mas de violência em geral, contra criança, contra idoso”, disse o delegado James dos Anjos, responsável pelo caso.

Candidato a prefeito de Trizidela do Vale não tem nem o voto do pai dele

0

O sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aponta que o ex-prefeito Jânio de Sousa Freitas – o Jânio Balé, paio do candidato a prefeito de Trizidela do Vale, Deibson Balé (PDT), nas eleições deste ano, está com o título de eleitor suspenso.

A consulta foi feita pela reportagem na tarde de hoje, a vinte dias das eleições municipais. O motivo da suspensão não é informado no site.

Um dos motivos, segundo a reportagem apurou, pode ter sido devido a condenação pela justiça estadual, razão pela qual Jânio Balé teve seus direitos cassados.

A suspensão traz várias consequências na vida política do ex-gestor impedindo até mesmo de votar no próprio filho que concorre ao cargo de prefeito na cidade que um dia já administrou.

Ora, se Deibson Balé não terá nem o voto do pai ‘ficha-suja’ nessas eleições, como é que ele vai ter coragem de pedir voto do eleitorado trizidelense?

“FILHO DE PEIXE, PEIXINHO É”
Na última sexta-feira (23), a imprensa maranhense mostrou que sem trabalhar como médico por conta da corrida agenda de campanha, Deibson Balé, que que atua na Estratégia Saúde da Família (ESF), estaria recebendo verba ilegal do SUS em Joselândia.

Um levantamento junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES, a reportagem apurou que ele possui dois vínculos com o SUS: um como médico do Estratégia Saúde da Família (ESF) e outro como médico em radiologia e diagnóstico por imagem.

No primeiro vinculo, deveria trabalhar 40 horas semanais no Centro de Saúde Marly Sarney PSFSB, localizado na Rua Mendes Pereira S/N, no Centro de Joselândia – MA. Já no segundo vinculo, deveria cumprir jornada de 8 horas semanais na Unidade Mista Santa Marta, localizada na Rua Francisco Vieira, também no mesmo município. Os dois veículos totalizam carga horária de 48 horas semanais, nos dois estabelecimentos de saúde.

Há quase três meses atuando como candidato a prefeito, o médico deveria aparecer no cadastro de profissionais como desligado. Porém, conforme o SUS, Deibson embora não esteja exercendo suas funções – por conta dos compromissos de campanha, mesmo assim teve seu cadastro atualizado no mês passado, conforme documentos em anexo.

Enquanto Deibson faz campanha em Trizidela do Vale, quem precisa de atendimento em Joselândia, tem que recorrer aos municípios vizinhos. Os motivos: falta de médicos para atender a população. Ou seja, o médico- candidato que “sabe das necessidades da sua gente” é o mesmo que deixa milhares de pacientes sem atendimento em outra cidade.

O ditado popular “filho de peixe, peixinho é” quer dizer que pais e filhos tem características e semelhanças que não tem como negar o parentesco. A expressão é usada para justificar coisas que os filhos fazem, que são muito parecidas com seus pais. Normalmente é usado em forma de crítica negativa.

É o caso, por exemplo, de um pai colocar o filho numa disputa eleitora, depois de ter sido condenado por irregularidades envolvendo uma gestão e, depois de colocar o filho para lhe substituir numa eleição, vir à tona a revelação de que primogênito é suspeito de fraude no SUS.

PF usará drones no Maranhão para flagrar crimes no dia das eleições

0

A Polícia Federal no Maranhão realizará nesta terça-feira (27) simulação de acompanhamento de eleitores com utilização de drone, demonstrando a capacidade para captura e gravação de imagens, que possibilitarão autuações em flagrante e comprovação do cometimento de crimes no dia das eleições.

A simulação ocorrerá nas cidades de São Luís, Imperatriz e Caxias.

Segundo a PF, o objetivo é aumentar a segurança nas eleições. Os equipamentos serão alocados em municípios estratégicos em todo o território Nacional.

Os drones irão sobrevoar as principais zonas eleitorais do país ajudando a fiscalizar e combater crimes como boca de urna e transporte de eleitores. Tais equipamentos trazem tecnologia de ponta e são capazes de tornarem-se imperceptíveis ao voar em elevada altitude. Ainda assim, os Drones possuem câmeras capazes de realizar zoom suficiente para identificar suspeitos, placas de veículos, entregas de santinhos e situações de compra de votos, com imagens de alta nitidez.

As imagens capturadas serão transmitidas a uma equipe da Polícia Federal que estará preparada para monitorar todas as eleições e adotar as medidas cabíveis diante de atividades suspeitas.

Assim, diante de algum flagrante de crime eleitoral, policiais se deslocarão, imediatamente, para o local indicado para prender os suspeitos, que serão conduzidos para a delegacia, onde serão tomadas as providências pertinentes.

A ação vai ao encontro das orientações da Direção Geral da Polícia Federal, no sentido de utilizar novas tecnologias para prevenir e reprimir ações delituosas. O uso de DRONES possibilita, ainda, diminuir a presença física dos policiais e o contato social com não envolvidos em situação criminosa, o que se torna extremamente relevante diante do cenário de medidas de distanciamento social para combater a epidemia do novo coronavírus.