Início Site

Após 4 meses, Brasil vacinou 18,5% dos adultos contra Covid-19

0

Prestes a completar quatro meses em 18 de maio, a vacinação no país preocupa pelo ritmo lento e picado. Até quarta-feira (5), 18,5% da população adulta – aproximadamente 30,469 milhões de pessoas – havia recebido pelo menos a primeira dose de algum dos imunizantes contra a Covid-19 disponíveis no país. A população adulta brasileira corresponde a 163,9 milhões de indivíduos, segundo dados do IBGE.

Entre os que estão devidamente imunizados, isto é, que tomaram as duas doses, o total é ainda menor. São 14,5 milhões de brasileiros, cerca de 8,8%. Os dados foram levantados pelo (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados, e se baseiam na plataforma de acompanhamento da vacinação do Ministério da Saúde.

O número avançou em relação ao levantamento feito pelo Metrópoles em abril, quando as informações indicavam que 12% da população havia recebido a primeira dose, e 3,4%, a segunda. Isso quer dizer que, em quase um mês, o país registrou aumento de 6,5 pontos percentuais entre aqueles que tomaram uma dose, e de 5,4 entre os que receberam as duas.

Dados mostram que o ritmo da vacinação não aumentou no último mês. Apesar de ter batido o recorde de doses aplicadas em abril (16,1 milhões), o país viu crescimento de apenas 1% em relação aos 30 dias anteriores.

Para o infectologista Marco Aurélio Sáfadi, professor da Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo, a vacinação no Brasil está lenta e a principal razão é a falta de imunizantes.

“O número é muito abaixo do que poderíamos estar vacinando. É só lembrar que, em campanhas anteriores, como da influenza, nós vacinamos em média 75 milhões de pessoas também em poucos meses. Temos de reconhecer que essa limitação tem um único motivador: a indisponibilidade de doses suficientes. Se tivéssemos um maior estoque, com certeza a vacinação estaria mais avançada no país”, completa Sáfadi.

O especialista também afirma que a estratégia de aplicar a segunda dose com um espaço mais longo de tempo é uma das saídas possíveis. Na segunda-feira (3), o governo federal orientou estados e municípios a atrasarem a aplicação da segunda dose para 12 semanas depois da primeira. Para Safádi, frente à falta de imunizantes, esse intervalo agilizaria o acesso de mais brasileiros à vacina.

“Isto traria mais obstáculos para a transmissão do vírus, reduziria a mortalidade e hospitalizações”, afirmou.

Um estudo publicado pela agência de saúde pública inglesa apontou que a efetividade das vacinas Pfizer/BioNTech e Oxford/AstraZeneca após a primeira dose em idosos com mais de 70 anos é de 80%. Outro estudo, publicado em fevereiro na revista The Lancet, mostrou que a transmissão diminuiu 75% e os casos sintomáticos regrediram 85% após uma dose.

Já uma pesquisa recente da Universidade de Oxford indicou queda de quase 50% na contaminação após a primeira dose.

Segundo o Ministério da Saúde, foram 71,3 milhões de doses distribuídas para todas as secretarias estaduais de Saúde. Nesta semana, a previsão é de que aconteça a maior entrega de imunizantes desde o começo da pandemia de coronavírus no país.

Do total de 11 milhões de doses, 6,5 milhões foram produzidos pela Fiocruz; 4 milhões, pelo consórcio Covax Facility, encabeçado pela Organização Mundial da Saúde (OMS); 1 milhão, pela Pfizer/BioNTech; e 420 mil, pelo Instituto Butantan.

Paulo Gustavo morre aos 42 anos vítima da Covid no Rio de Janeiro

0

O ator Paulo Gustavo, de 42 anos, morreu nesta terça-feira 4 vítima de complicações causadas pela Covid-19. Ele estava internado desde 13 de março no Hospital Copa Star, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro.

O estado de saúde piorou desde domingo 2. Na tarde desta terça-feira, a família do ator divulgou uma nota classificando o quadro clínico do ator como “irreversível”. A informação foi divulgada na conta oficial do Twiter do comediante.

Segundo a nota, desde o último domingo o quadro do ator vinha se deteriorando. “Internado desde 13 de março, no Rio de Janeiro, com quadro de covid-19, Paulo Gustavo permanece no Serviço de Terapia Intensiva. A equipe médica acaba de emitir, novo boletim: Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante. Apesar da irreversibilidade do quadro, o paciente ainda se encontra com sinais vitais presentes.”

Na mesma nota, a família do ator agradece o carinho dos fãs e admiradores e pede orações a Paulo Gustavo e às demais pessoas acometidas pela Covid-19.

Na noite desta terça-feira, foi confirmada a morte de Paulo Gustavo na conta oficial do ator no Twitter.

Carreira

Paulo Gustavo nasceu em Niterói, no Rio de Janeiro, e iniciou a carreira em 2006, quando foi indicado ao prêmio Shell no ano de estreia de Minha Mãe é uma Peça, comédia que montou para o teatro e que o consagrou nacionalmente quando foi adaptada para o cinema.

Na personagem Dona Hermínia, Paulo Gustavo homenageou sua própria mãe, Dea Lúcia, em uma interpretação que conquistou a identificação do público e garantiu a continuação, Minha Mãe é uma Peça 2, que também foi sucesso de bilheteria.

Em 15 anos de carreira, Paulo Gustavo fez cinco peças de destaque para o teatro e também atuou na TV, com cinco programas no canal Multishow: 220 Volts – A Série, Vai Que Cola, Paulo Gustavo na Estrada, A Vila e Além da Ilha.

Paulo Gustavo casou-se em 2015 com Thales Bretas, com quem tem dois filhos: Romeu e Gael, de um ano e oito meses.

Quem é a Montanha e Quem é Maomé?

0

Por Fábio Câmara

“Nós (governo estadual) temos aguardado a manifestação do prefeito (Braide), ele ainda não fez nenhuma manifestação acerca disso (aproximação politica). Tenho certeza que assim que o fizer, terá toda a reciprocidade do governador Flávio Dino.

Agora, é uma iniciativa que, certamente, deve partir do prefeito, em torno de uma pauta para a cidade. Afinal, ele é o gestor municipal e tem a responsabilidade de cuidar da cidade e, portanto, buscar parcerias.” Secretário Estadual de Cidades e Desenvolvimento Urbano, Marcio Jerry.
A lógica presente nessa fala do Sec. Márcio Jerry é bastante interessante!

Pena que nem ele e nem o governador Flávio Dino a seguem. É qualquer coisa do tipo: “- Faça o que eu te digo. Mas, não faça o que eu faço!” Dino é o “gestor” do governo estadual. Dino tem o dever de buscar parcerias para mais e melhor gerir. Dino e Jerry buscaram quais parcerias junto a Bolsonaro? Enquanto São Luís – administrada pelo Braide – é a segunda capital brasileira a, proporcionalmente, mais vacinar e com um dos melhores índices de desempenho operacional frente à crise pandêmica, o Maranhão de Dino e Jerry apresenta mais de 20 mil novos casos de infectados e um gráfico preocupante para o desenho do COVID-19.

Se os números da capital são positivos e isso acontece sem a participação do governo estadual, a quem mais interessa uma aproximação para beneficiar-se desse bônus? É fato que todo o nosso povo de São Luís e do Maranhão ganha com uma parceria Estado/Município.

Porém, também é fato que as eleições do ano que vêm são de âmbito estadual e, portanto, é de interesse do governador coroar a sua sofrível estada de 7 anos sentado nos Leões, fazendo algo que o referende a pedir votos para si ou para outros aliados.

E para ter esse respaldo no maior Colégio Eleitoral do Estado que ele diz “governar”, faz-se necessário muito mais que apenas asfaltar algumas ruas. Para ter sucesso em qualquer empreitada política para a qual se proponham, Jerry e Dino sabem que são eles que precisam descer do pedestal e depois descerem dos saltos.

Agora, se a tolice e a arrogância darão lugar à sabedoria e à humildade, aí papai, só o tempo dirá! E enquanto isso Weverton Rocha segue crescendo e se fortificando! Mas, essa é uma outra prosa para um outro dia. “- Pensem no que eu digo e repensem o que vocês fazem!” Fábio Câmara

Chapadinha em LUTO: ex- deputado Vagner Pessoa morre de câncer em São Luís

0

Nesta sexta-feira (16), faleceu em São Luís o ex-deputado Vagner Pessoa.

Com 66 anos, Vagner, que era proprietário da rádio comunitária Cultura FM, de Chapadinha, lutava contra um câncer desde 2015.

O Blog O Machado do Maranhão lamenta profundamente a morte prematura de Vagner Pessoa, que Deus console os corações dos familiares e amigos nesse momento de dor.

Ministério anuncia chegada de 2,3 milhões de kits intubação doados por empresas

0

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quinta-feira (15) a chegada de 2,3 milhões de kits de medicamentos utilizados para intubação de pacientes com Covid-19 doados por empresas. A informação foi divulgada em entrevista coletiva e busca responder à demanda de diferentes estados e municípios brasileiros que registram falta dos insumos.

A chegada dos medicamentos, doados por empresas, está prevista para esta quinta-feira às 22h30, no aeroporto de Guarulhos. A entrega completa contará com 600 mil doses de bloqueadores musculares, 400 mil doses de analgésicos específicos para este uso, além de 800 mil doses de sedativos do tipo midazolam e 500 mil doses de propofol, também sedativo.

Segundo Rodrigo Cruz, secretário-executivo do ministério, entre as empresas, estão instituições financeiras e a Vale.

O total de unidades, porém, será entregue em diferentes lotes. Segundo informações do Ministério da Saúde, o primeiro lote envolve 5,5 mil unidades do bloqueador neuromuscular fentamil, 152,8 mil unidades do sedativo propofol, 65,8 mil doses de cloridrato de midazolam e 180,3 mil unidades do medicamento cisatracúrio, todos essenciais para a intubação segura de pacientes.

“Nós conseguimos garantir, conforme as informações recebidas, 10 dias de bloqueadores musculares analgesia e sedação e 15 dias com propofol”, afirmou o secretário-executivo do ministério, Rodrigo Cruz. O estado será responsável, junto aos municípios, pela redistribuição dos medicamentos após o repasse. Ainda segundo Cruz, a doação de medicamentos foi discutida nesta quinta-feira.

Além da doação, descrita pelo ministro como “expressiva e capaz de ajudar a suprir o mercado nacional por um período, até que tenhamos a reposição dos nossos estoques”, o ministério especificou outras ações realizadas pelo governo pela aquisição dos fármacos, como negociações junto ao braço latino-americano da Organização Mundial de Saúde (OMS), a Opas.

Sobre a crise da falta de insumos em estados e municípios, o ministro da saúde afirmou que “o que há é uma situação sanitária grave, uma doença grave que leva as pessoas às unidades de terapia intensiva. E não só os governadores e prefeitos nos procuram, como também os parlamentares. Ou seja: há um interesse do poder público para que se supra os hospitais com esses insumos e estamos trabalhando para atender a essas necessidades”, reforçando que há um reforço na comunicação entre todas as entidades envolvidas.

A pasta ainda destacou que, em condições normais, “a obrigação de adquirir os medicamentos é de municípios e estados, todavia estamos em uma emergência de saúde pública e o Ministério da Saúde precisa adotar as providências necessárias para assegurar o abastecimento”.

Gaeco e Seccor realizam operação envolvendo deputado do MA em desvios de R$ 22 milhões

0

O Grupo de Atuação Especializada no Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Maranhão está realizando, na manhã desta quinta-feira, 15, a Operação Laços de Família, em parceria com a Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

Mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca da Grande Ilha de São Luís, estão sendo cumpridos nos municípios de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Miranda do Norte e Bom Jardim.

Participam da operação 24 equipes da Polícia Civil, compostas por delegados, investigadores e escrivães, além dos promotores de justiça do Gaeco.

ESQUEMA

As investigações tiveram início a partir de denúncia do Tribunal de Contas da União (TCU) a respeito de desvios de recursos realizados no período de 2017 a 2020, durante a gestão do ex-prefeito de Miranda do Norte Carlos Eduardo Fonseca Belfort, conhecido como Negão.

O ex-gestor estaria utilizando recursos públicos para quitar dívidas pessoais junto ao TCU. O mesmo artifício teria sido usado pelo também ex-prefeito e atual deputado federal, José Lourenço Bonfim Júnior, que esteve à frente da administração municipal de Miranda do Norte no período de 2009 a 2016.

As investigações apontaram a existência de uma verdadeira organização criminosa criada com o objetivo de desviar recursos públicos. O esquema era operacionalizado por meio de empresas de fachada que participavam de processos licitatórios fraudulentos. Essas empresas não tinham capacidade técnica nem lastro financeiro para cumprir os contratos firmados.

Quatro contratos firmados entre a Prefeitura de Miranda do Norte e as empresas “PM Construções e Serviços Ltda.”, “F Cipião Prazeres” e “J Rodrigues Macedo” totalizaram um dano de R$ 22.061.477,53 aos cofres municipais. Esse, inclusive, é o valor do bloqueio das contas correntes, poupanças e aplicações dos investigados, solicitado pelo Ministério Público.

As investigações também apontaram ligações entre essas empresas, os ex-prefeitos investigados, seus familiares, empregados e amigos.

Brasileiro perdeu quase 2 anos de expectativa de vida na pandemia, e 2021 deve ser pior, diz demógrafa de Harvard

0

O brasileiro perdeu quase dois anos de expectativa de vida em 2020 por causa da pandemia de covid-19. Em média, bebês nascidos no Brasil em 2020 viverão 1,94 ano a menos do que se esperaria sem o quadro sanitário atual no país. Ou seja, 74,8 anos em vez dos 76,7 anos de vida anteriormente projetados.

Com isso, a esperança de longevidade dos brasileiros retornou ao patamar de 2013. A queda interrompe um ciclo de crescimento da expectativa de vida no país, que partiu da média de 45,5 anos, em 1945, até atingir os estimados 76,7 anos, em 2020, um ganho médio de cinco meses por ano-calendário.

O cálculo do impacto da covid-19 na sobrevida da população foi feito por uma equipe de pesquisadores liderados pela demógrafa Márcia Castro, professora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade Harvard. A expectativa de vida, ou seja, a estimativa de quantos anos uma determinada população nascida em um dado ano deve viver, é um importante indicador de qualidade de vida e um dos componentes no cálculo do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das nações.

“Funciona como um termômetro social porque ela te mostra como a gente está progredindo em aumentar a longevidade da população, através de medidas de saúde pública, saneamento, e também te mostra como determinado choque, como uma guerra ou, neste momento, a pandemia, reduz esse indicador porque há um padrão de mortalidade maior do que o esperado”, afirmou Márcia Castro à BBC News Brasil.

Com a segunda maior taxa de mortalidade do mundo em números absolutos, o Brasil registra mais de 355 mil óbitos causados pelo novo coronavírus. E o impacto dessa mortalidade na expectativa de vida da população do país já é 72% maior do que a verificada nos Estados Unidos, líder em óbitos por covid-19 (560 mil). Enquanto os brasileiros perderam 1,94, ano, na média, os americanos perderam 1,13 ano de expectativa de vida em 2020 por conta da pandemia (redução de 78,8 anos para 77,8 anos).

Decreto inclui Correios no Programa Nacional de Desestatização

0

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou decreto para incluir a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios) no Programa Nacional de Desestatização. A medida foi publicada na edição desta quarta-feira 14 do Diário Oficial da União (DOU).

O decreto prevê a celebração de contrato de concessão, de modo contínuo e com modicidade de preços, dos seguintes serviços postais universais:

a) carta, simples ou registrada;

b) impresso, simples ou registrado;

c) objeto postal sujeito à universalização, com dimensões e peso definidos pelo órgão regulador;

d) serviço de telegrama, onde houver a infraestrutura de telecomunicações necessária para a sua execução.

Essa concessão fica sujeita à aprovação, pelo Congresso Nacional, do marco legal dos serviços postais. No fim de fevereiro, o presidente Bolsonaro foi pessoalmente à sede do Legislativo para entregar o projeto de lei.

O decreto ainda prorroga o prazo de funcionamento do Comitê Interministerial criado para acompanhar e opinar sobre pareceres e estudos necessários ao processo de desestatização dos Correios até a conclusão.

Covid-19: senador diz ter assinaturas para ampliar CPI a governadores e prefeitos

0

O vereador Carmelo Neto, de Fortaleza (CE), afirmou nesta segunda-feira (12) que conversou com o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) e que este lhe disse já ter conseguido assinaturas para que governadores e prefeitos sejam incluídos na CPI da Covid-19, que deve ser aberta após determinação do ministro Luís Roberto Barroso.

“URGENTE! Acabei de falar com o senador Eduardo Girão. JÁ TEMOS AS ASSINATURAS PARA QUE ESTADOS E MUNICÍPIOS SEJAM INCLUÍDOS NA CPI DA COVID. VITÓRIA!”, escreveu o vereador no Twitter.

Girão defende que a CPI da Covid englobe estados e municípios para ser mais “justa”.

No domingo (11), em conversa com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), divulgada pelo próprio senador em suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro cobrou que a CPI, se instalada, trabalhe para apurar também a atuação dos gestores estaduais e municipais.

“Nós dois estamos afinados. CPI ampla e investigar ministros do Supremo. Ponto final”, disse Bolsonaro ao senador.

Bolsonaro reclama de gravação de conversa por Kajuru e cobra autorização judicial

0

O presidente Jair Bolsonaro reclamou nesta segunda-feira, 12, da divulgação de um telefonema seu com o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO). Segundo o presidente, seria necessária autorização judicial para a gravação do diálogo ter sido feita pelo parlamentar, o que não é verdade, uma vez que não há proibição na lei nos casos em que a divulgação é feita por um dos participantes. A conversa entre os dois tratou sobre a instalação da CPI da Covid no Senado, que preocupa Bolsonaro. 

“Eu fui gravado em uma conversa telefônica, está certo? A que ponto chegamos no Brasil? Gravado”, comentou para apoiadores na saída do Palácio da Alvorada nesta manhã. “A gravação é só com autorização judicial. Agora, gravar o presidente e divulgar… E outra, só para controle, falei mais coisas naquela conversa lá. Pode divulgar tudo da minha parte, tá?”, disse Bolsonaro. A divulgação da conversa foi feita ontem, mas, segundo Kajuru, o telefonema ocorreu no sábado, 9.

O chefe do Executivo demonstrou irritação com a revelação da conversa. A Coluna do Estadão mostrou, no entanto, que Bolsonaro foi avisado por Kajuru com vinte minutos de antecedência que o áudio seria publicado nas redes sociais. Segundo o senador, Bolsonaro não tentou impedir a divulgação. 

No telefonema, Bolsonaro pressionou Kajuru a ingressar com pedidos de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal. O presidente dá a entender que, se houver pedidos de impeachment contra ministros da Suprema Corte, podem ocorrer mudanças nos rumos sobre a instalação da comissão. A decisão pela criação da CPI, que tem o apoio de mais de um terço do Senado, foi do ministro Luís Roberto Barroso. 

“Você tem de fazer do limão uma limonada. Tem de peticionar o Supremo para colocar em pauta o impeachment (de ministros) também”, disse Bolsonaro ao senador. “Sabe o que eu acho que vai acontecer, eles vão recuperar tudo. Não tem CPI, não tem investigação de ninguém do Supremo.”  Pouco antes de falar com apoiadores no Alvorada, o presidente também foi às redes sociais pedir “união e apoio” ao seu governo. Na postagem, sem citar em nenhum momento o enfrentamento da pandemia que já matou mais de 350 mil pessoas no País, o presidente elege o “comunismo” como inimigo a ser combatido, numa crítica velada a prefeitos e governadores que adotaram medidas restritivas para conter a proliferação da doença.

“Hoje você está tendo uma amostra do que é o comunismo e quem são os protótipos de ditadores, aqueles que decretam proibição de cultos, toque de recolher, expropriação de imóveis, restrições a deslocamentos, etc”, afirma o presidente. Apesar de Bolsonaro incluir a expropriação de imóveis na lista, numa tentativa de alarmar a população, nenhum governador ou prefeito adotou a medida entre as estratégias para conter o vírus. Informações nesse sentido envolvendo o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), já foram desmentidas pelo Estadão Verifica.

Na gravação com Kajuru, além de tratar do impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Bolsonaro insistiu que a CPI da Covid amplie a investigação para incluir governadores e prefeitos, não apenas o governo federal. O presidente atribuiu ainda o número de mortes da covid-19 à suposta omissão de prefeitos e governadores, ignorando que ele mesmo boicota medidas que dão certo contra o vírus, como o distanciamento social e o uso de máscaras. “A questão do vírus… Não vai deixar de morrer gente, infelizmente, no Brasil. Poderia morrer menos gente se os governadores e prefeitos que pegassem recursos e aplicassem realmente em postos de saúde, hospital”, disse Bolsonaro a Kajuru. 

A publicação de hoje nas mídias sociais do presidente é acompanhada de vídeo com trechos de entrevistas de Bolsonaro antes, durante e depois de sua campanha eleitoral, inclusive com imagens do episódio da facada e de manifestações pró-governo. Ao cobrar apoio e o respeito à Constituição, ele afirmou que não se deve “ofender exatamente aquele que pode ser decisivo” em momentos difíceis. 

“Se a facada tivesse sido fatal, hoje você teria como presidente (Fernando) Haddad (PT) ou Ciro (Gomes, PDT). Sua liberdade, certamente, não mais existiria”, diz Bolsonaro, numa referência a seus adversários na campanha de 2018.

O chefe do Executivo voltou a defender a “liberdade” ao criticar adoção de “lockdown” por governadores e prefeitos. As restrições, que vão de toque de recolher ao fechamento do comércio, foram decretados após o sistema de saúde de muitas cidades entrarem em colapso, com UTIs lotadas e pessoas morrendo na fila à espera de um leito.

“Cada vez mais a população está ficando sem emprego, renda e meios de sobrevivência… O caos bate na porta dos brasileiros. Pergunte o que cada um de nós poderá fazer pelo Brasil e sua liberdade e… prepare-se”, escreveu, conclamando seus seguidores.