Início Site

Pesquisadores do RS relatam problemas após ‘apagão’ no CNPq: ‘Horrível’, diz professora

0

Associação de Pós-Graduandos da UFRGS afirma que instabilidade nas plataformas do CNPq reflete situação do apoio à ciência no Brasil. Órgão diz que problema já foi diagnosticado.

Apagão de dados do CNPq afeta pesquisadores

A queda dos sistemas e plataformas  do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) deixou estudantes, pesquisadores e professores preocupados no Rio Grande do Sul. A indisponibilidade, observada desde sábado (24), completa cinco dias nesta quarta-feira (28).

A pesquisadora Karen Kraemer, da Universidade Federal de Santa Catarina(UFSM) , conta que não conseguiu acessar o currículo Lattes, hospedado pelo CNPq, para realizar cadastros na Plataforma Brasil, uma base de registros de pesquisas envolvendo seres humanos.

“Este apagão foi horrível. Eu tenho uns 10 certificados para lançar e não estou conseguindo, porque apagou tudo”, relata.

O CNPq afirmou, em nota, que “o problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado” e que “os procedimentos para sua reparação foram iniciados”. Leia a nota abaixo.

O coordenador do Associação de Pós-Graduandos (APG) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Bruno Veber, avalia que o problema reflete a situação de como a ciência é tratada no Brasil. Veja vídeo acima.

“Isso é um reflexo do descaso, da falta de fomento e de um desmonte da ciência brasileira”, diz.

O pesquisador, doutorando em genética e biologia molecular, também manifesta preocupação com as bolsas pagas aos estudantes. O CNPq diz que o pagamento não será afetado.

“As bolsas dos pós-graduandos são seus salários. Os contratos de bolsas que a gente têm hoje em dia visam a exclusividade, a gente só pode ter dedicação exclusiva ao trabalho da pós-graduação, o foco nas teses e dissertações de doutorado e mestrado. A gente não tem essa possibilidade de trabalhar fora para ter um complemento de renda”, diz Veber.

O CNPq está entre as principais agências de fomento à pesquisa no país. A Plataforma Lattes, por exemplo, reúne quatro sistemas nos quais cientistas devem registrar seus currículos para conseguir bolsas de pesquisa e vagas em universidades, além de participar de editais e concursos. Além disso, existe a plataforma Carlos Chagas, referente às bolsas de financiamento de pesquisa.

Backup

Segundo o órgão, “existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas”, não existindo perda de dados na Plataforma Lattes.

Concurso Banco do Brasil: inscrições para 4.480 vagas são prorrogadas

0
A remuneração inicial é de R$ 3.022,37; candidato deve ter nível médio de escolaridade.

O Banco do Brasil  prorrogou as inscrições do concurso público para o total de 4.480 vagas até o dia 7 de agosto. São 2.240 imediatas e 2.240 para formação de cadastro de reserva, para todos os estados e o Distrito Federal. A seleção é para o cargo de escriturário, com os nomes de relacionamento de agente comercial e agente de tecnologia.

As inscrições, previstas para encerrar nesta quarta, agora podem ser feitas pelo site da Cesgranrio até as 23h59 de 7 de agosto, e têm valor de R$ 38,00.

A divisão das vagas é a seguinte:

  • 2 mil vagas para Escriturário – Agente Comercialmais 2 mil de cadastro reserva, para atuação nas unidades de negócios em todos os estados e no Distrito Federal;
  • 240 vagas de Escriturário – Agente de Tecnologia, e outras 240 para cadastro de reserva, com foco em Conhecimentos de TI, para vagas somente no Distrito Federal.

Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação.

A remuneração inicial é de R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais. O banco oferece ainda ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e, cumulativamente, concede cesta alimentação no valor mensal de R$ 654,87.

Há possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência e previdência complementar. Os funcionários do BB possuem ainda acesso à Universidade Corporativa Banco do Brasil (UniBB).

Do total, 5% das vagas são reservados para pessoas com deficiência e 20% para candidatos que se autodeclararem pretos ou pardos.

O concurso terá provas objetivas e redação, previstas para o dia 26 de setembro, e seguirá os protocolos de prevenção à Covid-19.

Justiça determina prisão de suspeito de incendiar estátua do Borba Gato; ‘objetivo foi abrir debate sobre o genocida e abusador de mulheres’, diz preso

0

Esposa também teve prisão temporária decretada, mas defesa diz que ela não participou de ato. Bandeirantes como Borba Gato desbravaram territórios no interior do país e capturaram e escravizaram indígenas e negros. Segundo historiadores, muitos mataram índios em confrontos que acabaram por dizimar etnias. Também estupraram e traficaram mulheres indígenas

Revolução periférica: A favela vai descer e não vai ser carnaval

A Justiça de São Paulo determinou a prisão temporária de Paulo Roberto da Silva Lima, conhecido como Paulo Galo, por suspeita de participar do incêndio à estátua do Borba Gato, em Santo Amaro, Zona Sul de São Paulo, no último sábado (24). A prisão foi anunciada pouco depois de ele se apresentar à delegacia e afirmar que participou do ato com objetivo de abrir o debate sobre o bandeirante Borba Gato.

Gessica de Paula da Silva Barbosa, esposa de Paulo, também teve a prisão temporária determinada, mas segundo a defesa, ela não participou do ato em frente à estátua. A polícia também cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do casal.

“Para aqueles que dizem que a gente precisa ir por meios democráticos, o objetivo do ato foi abrir o debate. Agora, as pessoas decidem se elas querem uma estátua de 13 metros de altura de um genocida e abusador de mulheres”, afirmou Paulo.

Bandeirantes como Borba Gato assombram territórios no interior do país e capturaram e escravizaram indígenas e negros.

Segundo historiadores, muitos mataram índios em confrontos que acabaram por dizimar etnias. Também estupraram e traficaram mulheres indígenas, além de roubar minas de metais preciosos nos arredores das aldeias, conforme o livro “Vida e Morte do Bandeirante”, de Alcântara Machado.

Além de Paulo, Danilo Oliveira também compareceu à delegacia de forma espontânea e assumiu sua participação no ato, mas não há pedido de prisão contra ele.

O incêndio

O incêndio ocorreu no sábado e um vídeo mostrou o momento em que os manifestantes retiraram pneus de um caminhão, espalharam os objetos pela via e nos arredores da estátua e, em seguida, atearam fogo no local. O caso ocorreu por volta das 13h30.

Em frente ao monumento em chamas, o grupo responsável pela ação estendeu uma faixa com a frase “Revolução periférica – a favela vai descer e não vai ser carnaval”.

Policiais militares e bombeiros chegaram ao local pouco tempo depois, controlaram as chamas e liberaram o tráfego. Ninguém ficou ferido.

Governo Bolsonaro apaga foto de homem armado usada para parabenizar o Dia do Agricultor após críticas

0

Postagem foi feita pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República, em sua conta no Twitter, nesta manhã. Palácio do Planalto não se pronunciou.

Post do governo Bolsonaro gera revolta

A Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República apagou na tarde desta quarta-feira (28) o post com a foto de um homem armado  feito horas antes em sua conta no Twiterr  como homenagem ao Dia do Agricultor.

O tuíte recebeu diversas críticas dos usuários e um deles apontou a origem da fotografia, retirada do banco de imagens iStock, que é pago. Neste site, a foto tem a seguinte a descrição: “Silhueta de caçador carregando espingarda no ombro e observando”. A postagem também foi apagada do Instagram da Secom.

O Ministerio da Agricultura  disse que não vai se manifestar.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) afirmou que “repudia totalmente essa postagem feita nas redes oficiais do governo e, enquanto representante dos agricultores e agricultoras familiares, expressa a sua indignação”.

A Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) disse que não vai se pronunciar. E a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA não respondeu até a última atualização da reportagem.

O Sindicato Nacional dos Peritos Federais Agrários (SindPFA) afirmou que a manifestação “é uma demonstração indigna de quem tomou o lado do escravagista, do jagunço, do capitão do mato, do grileiro e do desmatador, que ignora a realidade de um país que ainda não se reconciliou com seu passado, marcado pela destinação da terra a endinheirados, marginalizando a população”.

“É, sobretudo, um escárnio para com as muitas famílias e vítimas da violência no campo, como as do massacre de Eldorado dos Carajás, que completou 25 anos recentemente”, disse a entidade, em nota.

A Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) afirmou que “rechaça o simbolismo armamentista promovido pelo governo federal nas áreas rurais do país” e que a postagem demonstra “desconhecimento da realidade da agricultura familiar no Brasil, marcada pela solidariedade, generosidade e dedicação para prover alimentos de verdade para as famílias brasileiras”.

“A segurança no campo não depende de armas, mas sim de políticas públicas de desenvolvimento rural, reforma agrária e tecnologia apropriada, geração de trabalho e renda”, disse a entidade.

BLOGUEIRO INVESTIGADO POR EXTORSÃO E FORMAÇÃO DE QUADRILHA FAZ RETRATAÇÃO PÚBLICA SOBRE MATÉRIA QUE ENVOLVE O PRESIDENTE DA FAMEM ERLANIO XAVIER

0

O blogueiro Antônio Martins, também conhecido pela alcunha de “Antônio Preto” e Nêgo John”, retratou-se, em matéria veiculada em seu blog no último dia 14, por fazer acusações falsas e sem provas contra a pessoa do Presidente da FAMEM, e prefeito do município de Igarapé Grande, Erlânio Xavier.

Causou-nos estranheza essa matéria, visto que, Nêgo John, apesar de investigado por vários órgãos da justiça, leia-se, MPF e PF, vive bradando aos quatro cantos, para quem quiser ver e ouvir, que ele é de dentro da casa e do peito de togados importantes do Estado, e que não tem medo da justiça. Bom, se ele não tinha medo, certamente passou a ter e essa relação que diz gozar com esses “togados”, parece, depois dessa “prensa”, ser mais uma de suas mentiras e devaneios, provocados pelo súbito enriquecimento, que segundo fontes desse blog, é resultado de extorsões e chantagens contra empresários, e que estão sendo devidamente investigadas e logo terão um desfecho nada agradável para o novo rico.

Pois, bem, o bom mesmo seria o Antônio Preto, colocar suas barbas de molho, pois, logo, logo este blog estará veiculando comprovantes de depósitos polpudos efetuados em sua conta, o motivo dessas transferências e  partes importantes dessa novela de extorsões, investimentos fantasmas, formação de quadrilha e envolvimento de empresários e políticos com o Nêgo John.

Pelo visto o blogueiro parece não estar muito preocupado com esses “detalhes”, pois afirma que  seus “papais” togados irão blinda-lo de qualquer rebordosa. Vamos aguardar pra ver.

Plataforma que reúne currículos de pesquisadores no Brasil está fora do ar há 4 dias; CNPq afirma que não há perda de dados

0

Sem previsão de restabelecimento dos sistemas, o Conselho informa que todos os prazos do órgão estão suspensos, e que o pagamento das bolsas de pesquisas não serão afetadas.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia, informou nesta terça-feira (27) que identificou o problema que retirou do ar todos os seus sistemas e plataformas, e garantiu que não houve perda dos dados de pesquisas e pesquisadores do país.

“O CNPq já dispõe de novos equipamentos de TI e a migração dos dados foi iniciada antes do ocorrido. Independentemente dessa migração, existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas. Portanto, não há perda de dados da Plataforma Lattes”, explica o conselho.

Em nota, o órgão não deu um prazo para o restabelecimento da rede, mas garantiu que o pagamento das bolsas de pesquisa implementadas não será afetado e que todos os prazos estão suspensos ou serão prorrogados.

No sábado (24), o CNPq informou que todos os seus sistemas e plataformas estavam indisponíveis. Esta terça é, portanto, o quarto dia em que os dados estão fora do ar.

Um dos sistemas fora do ar é a Plataforma Lattes, que reúne quatro sistemas onde cientistas, professores e pesquisadores do Brasil devem registrar seus currículos para conseguirem bolsas de pesquisa, vagas em universidades e participarem de editais e concursos.

Na segunda-feira (26), o CNPq informou que a “prioridade é restaurar o acesso aos currículos na plataforma Lattes o mais rápido possível”.

O CNPq, a agência federal de fomento à pesquisa, tem a maior e mais importante plataforma científica do Brasil, reunindo toda a produção cientifica nacional, como projetos, pesquisas e trabalhos desenvolvidos por pesquisadores e universidades brasileiras. O órgão também é responsável pelo pagamento de bolsas a cientistas no país.

Candidatos selecionados na 1ª chamada do Prouni devem comprovar informações até esta quarta

0

De acordo com o MEC, a perda do prazo ou a não comprovação das informações implicará, automaticamente, na reprovação do candidato.

Página de inscrições do Prouni

O Ministério da Educação encerra nesta quarta (28) o período para que os candidatos pré-selecionados na 1ª chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição.

De acordo com o MEC, a perda do prazo ou a não comprovação das informações implicará, automaticamente, na reprovação do candidato.

Após entregar a comprovatória à instituição de ensino, o candidato deve, obrigatoriamente, receber um protocolo de recebimento de documentação do Prouni cedido pela instituição. Contudo, caso seja julgado necessário pelo coordenador do Prouni na instituição, podem ser exigidos documentos adicionais.

O programa oferece bolsas de estudo parciais (que cobrem 50% da mensalidade) e integrais para cursos de graduação e de formação continuada em universidades particulares.

Ao todo são ofertadas 134.329 bolsas, sendo 69.482 bolsas integrais e 64.847 parciais, para 10.821 cursos em 952 instituições de ensino superior da rede privada.

resultado de quais candidatos foram pré-selecionados na 1° chamada do programa foi divulgado no dia 20 de julho no site do Prouni.

Calendário Prouni:

  • Fim do período de comprovação de informações da 1° chamada: 28 de julho
  • Resultado da 2° chamada: 3 de agosto
  • Comprovação de informações da 2° chamada: 3 a 11 de agosto
  • Prazo para participar da lista de espera: 17 a 18 de agosto
  • Resultado da lista de espera: 20 de agosto
  • Leia o edital completo

Fies abre inscrições para segundo semestre de 2021; seleção usará notas do Enem de 2010 a 2020

0

Ao todo, são 69 mil vagas em 1.324 instituições privadas de ensino superior. Para participar, os candidatos devem ter realizado a prova do Enem entre 2010 e 2020.

Prazo para se inscrever no Fies se encerra na sexta-feira (30), às 23h59

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) abriu, nesta terça-feira (27), o período de inscrição para o segundo semestre de 2021. O prazo termina na sexta (30), às 23h59. O resultado dos pré-selecionados será divulgado em 3 de agosto.

O Fies é um programa de financiamento para estudantes em instituições de ensino superior privadas. Para o próximo semestre, serão 69 mil vagas distribuídas em 23.320 cursos e/ou turnos de 1.324 instituições privadas de ensino superior diferentes.

Para se inscrever, o interessado deve ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) entre os anos de 2010 e 2020 e tirado nota média acima de 450. Bolsistas parciais do Prouni também podem participar.

Candidatos que fizeram o exame na condição de treineiro ou que tiraram nota zero na redação não podem se inscrever.

Os candidatos que não forem selecionados na chamada única serão automaticamente incluídos na lista de espera. O prazo para convocação dos selecionados desse grupo ocorre entre os dias 4 e 31 de agosto.

Como o Fies funciona?

O Fies é um programa de financiamento para estudantes cursarem o ensino superior em universidades privadas. Atualmente, tem duas categorias:

  • a primeira oferece vagas com juro zero para estudantes com renda mensal familiar de um a três salários mínimos;
  • a segunda, chamada P-Fies, tem juros variáveis e é direcionada a alunos com renda mensal familiar de até cinco salários mínimos.

Maranhense é um dos seis brasileiros aprovados em seletivo para lideranças negras da América Latina e Caribe

0

João Vitor de Sena Campos vai participar de projeto que visa fortalecer as capacidades de liderança, conhecimento dos direitos humanos e participação política dos jovens latinos.

Maranhense é um dos seis brasileiros aprovados em seletivo para lideranças negras da América Latina e Caribe

O estudante João Vitor de Sena Campos, do curso Ciências Sociais, foi um dos seis brasileiros aprovados para bolsas na Escola de Liderança para Jovens Afrodescendentes na América Latina e no Caribe, um programa da organização Ashanti Peru com o apoio do Escritório Regional do Fundo de População das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (UNFPA).

O maranhense estuda na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e vai participar do projeto que tem como objetivo fortalecer as capacidades de liderança, conhecimento dos direitos humanos e participação política dos jovens latinos. O programa será realizado remotamente e em espanhol, com duração de dez semanas.

A metodologia adotada oferece aos participantes uma equipe de mentores que acompanham o progresso individual e coletivo. Os bolsistas também recebem assistência técnica na conclusão de atribuições finais, e a interação entre alunos de diversos países possibilita uma troca cultural que transcende a barreira da linguagem, gênero e nacionalidade.

Entre os requisitos para ingressar no programa estão ter entre 15 e 29 anos, domínio em espanhol e participação em alguma rede de defesa dos direitos de pessoas negras na América Latina.

A formação prévia e o engajamento em iniciativas locais fizeram diferença para a admissão no projeto, conta João. “Os últimos cinco anos de atuação, contribuição e organização em coletivos dos movimentos sociais fizeram muita diferença, desde o cursinho popular pelo Projeto De Boas até o voluntariado no Engajamundo. Tudo contribuiu para o preenchimento do formulário. Não deixei nada escapar”, explicou.

Bolsonaro diz que vai vetar fundão de R$ 5,7 bilhões e indica apoio a um valor de R$ 4 bilhões, o dobro da eleição de 2020

0

Após afirmar que vetaria integralmente o montante, presidente agora defende veto parcial do que considera ‘excesso’. Técnicos do Congresso avaliam que governo deve enviar novo projeto.

Chefe do Executivo afirmou que vetará a destinação de R$ 5,7 bilhões para as campanhas eleitorais de 2022

Presidente afirmou que defende a harmonia e autonomia dos Poderes, mas ‘dentro das quatro linhas da Constituição’. A proposta inicial era que o governo negociasse um  valor menor com o Congresso.

Após dizer que vetaria os R$ 5,7 bilhões destinados a campanhas políticas por meio do fundo eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (26) que pretende derrubar apenas o que considera um “excesso” no montante e indicou apoio a um valor menor, de R$ 4 bilhões.

O valor de R$ 4 bilhões é o dobro do fundo eleitoral das eleições de 2020.

A previsão do valor para campanhas políticas em 2022 foi incluída na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) durante a tramitação do texto na Câmara e no Senado.

A LDO estipula as regras para elaboração do Orçamento, incluindo as previsões de receitas, despesas, e a meta fiscal. O Orçamento 2022 propriamente dito deve ser enviado pelo governo para apreciação do Congresso até 31 de agosto.

“Vou deixar claro uma coisa. Vai ser vetado o excesso do que a lei garante. A lei, quase R$ 4 bilhões, o fundo. O extra de R$ 2 bilhões vai ser vetado. Se eu vetar o que está na lei, estou incurso na lei de responsabilidade. Espero não apanhar do pessoal como sempre”, disse Bolsonaro a apoiadores nesta manhã.

Técnicos do Congresso avaliam que o presidente não tem o poder de vetar trechos separados do mesmo dispositivo, eliminado apenas o “excesso”. Ou seja, Bolsonaro teria que derrubar integralmente o valor de R$ 5,7 bilhões e depois enviar um novo projeto estabelecendo os R$ 4 bilhões para o chamado Fundão.

Ainda segundo os técnicos, caso o dispositivo seja vetado, não é preciso que a regra que destina verba ao fundo esteja inscrita na LDO. Basta que os R$ 4 bilhões, agora defendidos pelo presidente, sejam incluídos diretamente na Lei Orçamentária Anual (LOA).

FUNDÃO

A LDO foi aprovada no Congresso em 15 de julho, antes do recesso parlamentar.

Em seu parecer, o relator, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), incluiu um dispositivo que prevê que, além de ser composto por uma parte das emendas de bancada estaduais, o fundo receberá 25% dos recursos que a Justiça Eleitoral teve em 2021 e terá em 2022.

Segundo técnicos da Câmara e parlamentares, a redação permite que o fundo tenha montante de R$ 5,7 bilhões em 2022, ano de eleições presidenciais.

A quantia estipulada provocou críticas de alguns parlamentares e da sociedade civil, já que o valor é quase o triplo do que os candidatos receberam em 2020, quando foram distribuídos R$ 2 bilhões.

Após a repercussão negativa, o presidente disse em mais de uma ocasião, durante a semana passada, que vetaria o montante. Agora, defende um veto parcial do valor. Bolsonaro não detalhou como pretende fazer a operação.