Início Site

Colapso: Imperatriz volta a ter todos os leitos de UTI da rede estadual para Covid-19 ocupados

0

A cidade de Imperatriz, segunda maior do Maranhão, voltou a alcançar a totalidade de rede estadual em relação ao leitos de UTI exclusivos para o tratamento do novo coronavírus. É a segunda vez que isso acontece em menos de uma semana.

Na última quinta-feira (21) houve taxa de ocupação de 100% e segundo a Secretaria Estadual de Saúde mais 10 leitos foram oferecidos. No boletim divulgado pela SES na noite desse domingo (24) um novo colapso foi alcançado.

O colapso de leitos em Imperatriz não se posiciona apenas nas UTIs. Nesse fim de semana os leitos clínicos chegaram também a uma ocupação máxima. Mais 15 leitos desta especificidade foram oferecidos e a taxa neste momento é de 93,83% com apenas cinco leitos vagos.

Epicentro da doença no Maranhão, a Grande São Luís não mostra números diferentes. Mesmo com alta de leitos de UTI exclusivos para o tratamento do novo coronavírus a taxa de ocupação da rede estadual segue sempre se avizinhando a um colapso. De acordo com dados da Secretaria de Saúde do Maranhão, dos 230 leitos apenas cinco estão disponíveis. Uma taxa de ocupação de 97,83%.

Em relação a ocupação dos leitos clínicos da capital maranhense a taxa também vem subindo e agora é de 80,96%. São 609 leitos ocupados dos 752 que a rede estadual possui na Região Metropolitana.

Nas demais regiões do estado os leitos de UTI a taxa de ocupação diminuiu por conta da oferta de novos leitos: 69,91%. Dos 113 leitos espalhados pelo Maranhão 34 estão livres. Em relação aos leitos clínicos no interior do Maranhão são 289 leitos na rede estadual. Destes, 187 estão ocupados (64,71%).

O Maranhão alcançou a marca de 22.786 mil pacientes infectados pelo novo coronavírus, 784 mortes por Covid-19 e 5.271 pessoas curadas pela doença. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado na noite deste domingo (24) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Dos novos casos confirmados, 449 são da Grande Ilha de São Luís, 50 em Imperatriz e 1.096 em outras regiões do Maranhão. Foram registrados 30 óbitos por Covid-19 nas cidades de Anapurus, Carutapera, Mata Roma, Coelho Neto, Brejo, Vitória do Mearim, Imperatriz, Pastos Bons, Santa Quitéria, Paulino Neves, Timon, Tutóia, Paço do Lumiar, Barra do Corda, Lago da Pedra e São Luís.

Taxa de ocupação de leitos de UTI

Leitos de UTI para a Covid-19 na Grande São Luís

  • Total de leitos de UTI – 230
  • Leitos ocupados de UTI – 225
  • % de ocupação das UTIs – 97,83%

Leitos clínicos para a Covid-19 na Grande São Luís

  • Total de leitos – 752
  • Leitos ocupados – 578
  • Porcentagem de ocupação – 76,86%

Leitos de UTI para a Covid-19 no interior

  • Total de leitos – 113
  • Leitos ocupados – 79
  • Porcentagem de ocupação – 69,91%

Leitos clínicos para a Covid-19 no interior

  • Total de leitos – 289
  • Leitos ocupados – 187
  • Porcentagem de ocupação – 64,71%

Leitos de UTI para a Covid-19 em Imperatriz

  • Total de leitos – 45
  • Leitos ocupados – 45
  • Porcentagem de ocupação – 100%

Leitos clínicos para a Covid-19 em Imperatriz

  • Total de leitos – 81
  • Leitos ocupados – 76
  • Porcentagem de ocupação – 93,83%

Reabertura do comércio em São Luís é marcada por Rua Grande e avenidas lotadas

0

Nesta segunda-feira (25), primeiro dia da volta gradual do comércio na Grande São Luís, o que se viu foram ruas lotadas, maior número de carros nas ruas comerciais e até filas para entrar nas lojas.

Milhares de pessoas estiveram no ponto comercial fazendo compras de todas as modalidades. A maioria delas usavam máscaras, mas poucas obedeciam o distanciamento recomendável, de dois metros.

Em uma das lojas da Rua Grande foi formada uma fila para entrar. Na fila também não foi obedecido o distanciamento recomendável pelas autoridades de saúde.

População não obedece distanciamento mínimo

No percurso da Rua Grande, equipes da Polícia Militar estavam presentes e orientavam as pessoas. Assim como no ponto principal do comércio de São Luís, as transversais, como a rua de Santana, por exemplo, tinha alto fluxo.

Também foi flagrada alta movimentação nas agências bancárias. A maioria com filas e aglomerações visíveis na parte externa.

Caixa da Avenida Kenedy

As paradas de ônibus também tiveram um grande aumento de movimentação. No bairro do João Paulo, que também é conhecido pela sua veia comercial, o fluxo era muito grande.

Também foram registradas muitas lojas que deveriam ainda estar fechadas com portas abertas. O bairro do João Paulo foi um exemplo disso.

Ponto de ônibus super movimentado no João Paulo

Veja o que muda:

  • A partir do dia 25 de maio poderão funcionar estabelecimentos comerciais familiares de pequeno porte, onde somente trabalhavam, antes da pandemia, o proprietário e o grupo familiar (cônjuge, pais, irmãos, filhos ou enteados).
  • A retomada gradual por setor econômico será iniciada no dia 1º de junho, estendendo-se por 45 dias, seguindo protocolos sanitários de cada setor, presentes nas portarias editadas pela Casa Civil. A cada sete dias, a situação epidemiológica será reavaliada, podendo haver modificação ou revogação da portaria.
  • Os estabelecimentos irão funcionar com horários alternados, para diminuir a concentração do fluxo no transporte coletivo. A medida será especificada em portaria publicada pela Casa Civil.
  • Seguem obrigatórias medidas sanitárias gerais, como uso de máscaras de proteção em ambiente público, vedação de qualquer aglomeração de pessoas e manutenção do distanciamento social.
  • As empresas deverão adotar escala de revezamento de funcionários, bem como a distância mínima de dois metros entre o funcionário e o cliente, e entre cada cliente. Além disso, sempre que possível, o trabalho de serviços administrativos deve realizado de forma remota. Reuniões e atividades que exijam encontro de funcionários deverão ocorrer de forma virtual.
  • Empregados e prestadores de serviço que pertençam a grupo de riscos devem ser dispensados das atividades presenciais até 15 de junho, sem qualquer tipo de punição, suspensão de salário ou demissão.
  • Restaurantes, lanchonetes, bares e similares continuarão com serviço de entrega ou retirada no próprio, sendo vedada a disponibilização de áreas para consumo.
  • Os estabelecimentos destinados à venda de peças de vestuário, caso permitam a prova e a troca de roupas e similares, deverão adotar medidas para que a mercadoria seja higienizada antes de ser fornecida a outros clientes.
  • Em caso de recusa por parte do consumidor de adotar o uso de máscara, proprietário e funcionários podem acionar a Polícia Militar, que aplicará procedimentos previstos no art. 268 do código penal.
  • Os estabelecimentos que não cumprirem as medidas dispostas, podem sofrer sanções administrativas (advertência, multa e interdição) e encaminhamento de ação ao Ministério Público Estadual e Ministério Público do Trabalho.
  • A partir do dia 1º de junho de 2020 é autorizada a retomada progressiva do funcionamento dos órgãos e entidades vinculados ao Poder Executivo, com uso de máscaras obrigatório, revezamento de servidores, afastamento de funcionários no grupo risco até o dia 15 de junho e suspensão de atendimento ao público externo até o dia 7 de junho.
  • Com base nos indicadores epidemiológicos e na oferta dos serviços de saúde, os prefeitos poderão decretar medidas mais rígidas, autorizar funcionamento de atividades comercias mediante observação dos protocolos sanitários e adotar barreiras sanitárias nos acessos a cada município.
  • Qualquer cidadão pode apresentar pedido de fiscalização estadual, se possível acompanhado de registros fotográficos e gravações em vídeo, por meio dos seguintes números de WhatsApp: (98) 99162-8274, (98) 98356-0374 e (98) 99970-0608.

Coronavírus

O Maranhão alcançou a marca de 22.786 mil pacientes infectados pelo novo coronavírus, 784 mortes por Covid-19 e 5.271 pessoas curadas pela doença. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado na noite deste domingo (24) pela Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Ficar em casa

Ficar em casa é importante porque, segundo as autoridades de saúde, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Cuidados

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Aprovado projeto que proíbe suspensão ou cancelamento de planos de saúde durante a pandemia

0

Durante Sessão Extraordinária com Votação Remota por Vídeoconferência, realizada nesta segunda-feira (25), a Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou por unanimidade o Projeto de Lei 162/2020, de autoria do deputado Zé Inácio (PT), que proíbe a suspensão ou cancelamento dos planos de saúde, por falta de pagamento dos usuários, durante a vigência do Plano de Contingência da Covid-19 no estado.

Agora o PL segue para sanção governamental.

O objetivo da proposição é garantir a continuidade da prestação dos serviços de atendimento em saúde na rede privada, no momento em que os usuários enfrentam dificuldades econômicas por conta da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o texto do projeto, as operadoras de planos de saúde não poderão suspender ou cancelar os serviços por inadimplência dos usuários, enquanto estiver em vigor as medidas de combate à Covid-19 no Maranhão.

Após o fim das restrições, as operadoras deverão possibilitar o parcelamento do débito acumulado neste período, sendo vedadas as cobranças de juros e multa.

Corregedor nacional instaura procedimento contra desembargador do TJ-MA

0
Desembargador Tyrone José Silva, investigado pela CNJ

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, instaurou pedido de providências, de ofício, para que o desembargador Tyrone José Silva, do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJ-MA), preste esclarecimentos sobre fatos divulgados em notícia jornalística sobre suposta irregularidade cometida na soltura de três presos de alta periculosidade.

De acordo com uma notícia que chegou ao conhecimento da Corregedoria Nacional de Justiça, três homens, presos sob a acusação de homicídio duplamente qualificado e fora do grupo de risco para a Covid-19, teriam obtido alvará de soltura, após concessão de liminar pelo magistrado, fundamentada em excesso de prazo da prisão preventiva e na pandemia do novo coronavírus.

Recomendação

Em resposta a questionamentos feitos pelo veículo de comunicação, o desembargador teria dito que a decisão está em consonância com a Recomendação 62/2020 do Conselho Nacional de Justiça, uma vez que os três homens estão presos há mais de um ano e sem perspectiva de julgamento, já que a epidemia da Covid-19 suspendeu as sentenças de júri.

Diante da invocação de ato normativo do CNJ como fundamento para a concessão da soltura, o ministro Humberto Martins solicitou mais esclarecimentos sobre os fatos narrados para verificação de eventual violação dos deveres funcionais por parte do magistrado.

“Considerando o teor dos fatos mencionados e tendo em vista a linha tênue que separa os atos simplesmente jurisdicionais dos que detêm relevância correcional no presente caso, bem como a cautela peculiar afeta à atuação da Corregedoria Nacional de Justiça, faz-se necessária a instauração de procedimento prévio de apuração para verificação de eventual violação dos deveres funcionais por parte de membro do Poder Judiciário”, disse Humberto Martins.

O desembargador Tyrone José Silva terá um prazo de 15 dias para prestar os esclarecimentos solicitados pela Corregedoria Nacional de Justiça.

General Heleno fala em ‘consequências imprevisíveis’ se celular de Bolsonaro for apreendido

0

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, disse que uma eventual apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) poderá ter “consequências imprevisíveis”. Em nota divulgada na tarde desta sexta-feira (22), Heleno criticou o ato do ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), que encaminhou à PGR (Procuradoria-Geral da República) pedidos de partidos e parlamentares de oposição para que o celular do presidente fosse apreendido e periciado.​

Segundo Celso de Mello, cabe à PGR a analisar as acusações que constam nas representações. O decano do STF afirmou que é dever do Estado apurar a “autoria e a materialidade dos fatos delituosos narrados por qualquer pessoa do povo”.

Em nota, o general Heleno considerou o pedido do decano do Supremo, que se trata de uma praxe, algo “inconcebível” e “inacreditável”.

Para ele, “seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder, na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do país”.

“O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os Poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”, diz o general.​

A manifestação sofreu críticas de líderes políticos e de representantes da sociedade civil. O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, apontou anacronismo e disse que o ministro deveria “sair de 1964”, em referência ao ano do golpe que deu início à ditadura militar (1964-1985).

“General Heleno, as instituições rechaçam o anacronismo de sua nota. Saia de 64 e tente contribuir com 2020, se puder. Se não puder, #ficaemcasa”, escreveu Santa Cruz em uma rede social.

A nota de Heleno foi interpretada por um ministro do STF como um sinal de desespero, segundo a coluna Mônica Bergamo, que ouviu o magistrado sob condição de anonimato.

A declaração do ministro do GSI foi recebida como uma tentativa de intimidação por parlamentares do Congresso.

Secretaria de Cultura informa que São João do Maranhão 2020 está cancelado

0

Todos os anos é grande a expectativa do povo maranhense para uma das festas mais tradicionais do nosso estado: o São João. Logo após o fim do Carnaval, a espera é ansiosa pelas toadas de Bumba-meu-boi, apresentação de grupos juninos, além de outros marcos dessa época.

No entanto, por conta da pandemia do novo coronavírus, que tem feito toda a população se manter isolada em casa, a Secretaria de Cultura do Maranhão informou que as festividades juninas no estado não serão realizadas neste ano.

Assim como outros eventos foram cancelados a nível estadual, nacional e mundial, o cancelamento do São João realizado tradicionalmente no mês de junho no estado, veio como uma forma de tentar conter a disseminação da COVID-19 na população, já que essa época reúne milhares de pessoas em vários locais, principalmente naqueles já característicos, como o Centro Histórico de São Luís, festa de São Marçal no João Paulo, entre outros.

Contudo, ainda segundo a Secretaria de Cultura do estado, está sendo estudada a possibilidade das festividades de São João serem realizadas ainda este ano, em uma época diferente, após o período de quarentena, dependendo da liberação das autoridades sanitárias competentes.

O cancelamento de um dos maiores eventos a nível nacional traz prejuízos culturais e econômicos. O Governo do Estado projeta algo em torno de 76 milhões de reais, fazendo uma comparação com o investimento de 19 milhões feito no ano passado, que teve retorno médio de quatro vezes o valor investido. Com mais de 1.300 apresentações, o São João do Maranhão em 2019 foi um sucesso de público, responsável por 70% da ocupação hoteleira em São Luís e 85% em Barreirinhas. Além disso, o Aeroporto Nacional de São Luís movimentou cerca de 150 mil passageiros em junho.

Com relação aos prejuízos culturais nesse período de crise sanitária mundial, houve o lançamento do Programa Conexão Cultural, que beneficiou mais de 600 artistas com apresentações online nas redes sociais institucionais.

Festa do Divino

No início do ano, outro grande evento cultural tradicional foi cancelado por causa do coronavírus: a Festa do Divino Espírito Santo, que reúne milhares de fieis, admiradores e turistas todos os anos na cidade de Alcântara. O festejo, que anualmente conta com o apoio do Governo do Estado, será realizado em 2021, sob o comando da Imperatriz Alda Silva e os mesmos mordomos escolhidos em 2019.

Fonte: O Imparcial

Flávio Dino anuncia que pode decretar lockdown para Imperatriz e região

0

O governador Flávio Dino (PCdoB), anunciou nesta tarde de quinta-feira (21), que pode decretar “lockdown” na cidade de Imperatriz e região, caso o avanço da covid-19 não seja estabilizada.

A situação na rede hospitalar no municipio é dramática e está próxima de um colapso. Novos leitos vão ser abertos, mas se os casos continuarem subindo, os hospitais não vão suportar a quantidade de pessoas doentes.

Vale lembrar que já houve um pedido da DPE para decretação de lockdown em Imperatriz, porém a Justiça negou. Na Grande Ilha de São Luís, o lockdown foi decretado pela Justiça e ocorreu entre os dias 5 e 17 de maio.

O governador falou recentemente sobre medidas mais duras na região

Inscrições do Enem são prorrogadas até próxima quarta-feira (27)

0

O prazo de inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi estendido até as 23h59 da próxima quarta-feira, dia 27 de maio. O anúncio foi feito através de uma rede social do ministro da Educação. Abraham Weintraub.

O antigo prazo seria encerrado as 23h59 desta sexta-feira (22). Segundo Weintraub até agora são 4.536.701 inscrições para a versão impressa do exame, além de 101.100 para o digital, totalizando 4.637.801.

Junto com o prazo estendido, o pagamento das taxas também foi alterado. A nova data de pagamento é até o dia 28, quinta-feira.

Secretários estaduais de educação de todo o país divulgaram, também nesta quinta-feira (21), uma nota solicitando ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) a prorrogação do prazo de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) até o dia 5 de junho de 2020.

Pedido de adiamento

O Ministério da Educação decidiu adiar o Exame nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 em função dos impacto da pandemia do novo coronavírus.

“As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais“, diz nota conjunta do Mec e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O cronograma inicial previa a aplicação do Enem 2020 impresso nos dias 1º e 8 de novembro. Já os participantes da versão digital, fariam a prova nos dias 11 e 18 de outubro. mais de 3,5 milhões de candidatos se inscraveram para o exame.

Para definir a nova data, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante.

As inscrições para o exame seguem abertas até as 23h59 de quarta-feira (27).

60 mil toneladas de minério ainda precisam ser retiradas para que navio sul-coreano encalhado no Maranhão inicie próxima fase

0

Encalhado desde o início do ano, o navio mercante Stellar Banner de origem sul-coreana aguarda atualmente a retirada de mais 60 mil toneladas de minério de ferro para que a fase de reflutuação seja iniciada. A embarcação encalhou na costa maranhense no final de fevereiro quando saiu do Terminal Marítimo de Ponta da Madeira em direção à China.

Segundo a Marinha, o Stellar Banner “continua estável, assentado no leito marinho. Os órgãos e empresas envolvidas continuam envidando o máximo de esforços e recursos possíveis, visando solucionar o ocorrido com brevidade, e sempre atendendo as normas e legislação em vigor, priorizando a salvaguarda da vida humana no mar, a proteção do meio ambiente e segurança da navegação”.

A Marinha disse que a operação tem a sua supervisão por meio do Navio de Apoio Oceânico Iguatemi, responsável pela execução do Plano de Reflutuação e Salvatagem, “aprovado pelo Comando do 4º Distrito Naval e fiscalizado pela Capitania dos Portos do Maranhão e pelas autoridades ambientais do Estado do Maranhão, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Secretaria de Estado do Meio ambiente e Recursos Naturais (Sema).

O navio com bandeira dos Países Baixos ‘Defender’ foi contratado para retirar toneladas de óleo do Stellar Banner. A operação foi realizada no dia 12 deste mês e retirou 3,9 mil metros cúbicos de óleo da embarcação sul-coreana.

No dia 14 de maio a Marinha do Brasil informou por meio de nota que mais 80 mil toneladas de minério de ferro haviam sido retiradas do navio, que é propriedade da empresa Polaris e sua carga de responsabilidade da mineradora Vale.

Navio ‘Defender’ auxilia na retirada do minério

Acidente com o Stellar Banner

O navio Stellar Banner sofreu duas fissuras no casco no dia 25 de fevereiro, logo após ter saído do Terminal Portuário da Ponta da Madeira em São Luís, com destino a um comprador em Quingdo, na China. A embarcação possui capacidade para 300 mil toneladas de minério de ferro e tem 340 metros de comprimento, o equivalente a dois campos de futebol.

Segundo a Capitania dos Portos do Maranhão, logo após identificar as fissuras no casco, o navio começou a afundar no Oceano Atlântico, a cerca de 100 km da costa do litoral do Maranhão. Por conta da situação de emergência, o comandante do navio emitiu um alerta e levou o Stellar Banner para um banco de areia.

Inquérito

A Superintendência da Polícia Federal (PF) no Maranhão informou que abriu um inquérito para apurar possível crime ambiental no acidente do Stellar Banner.

Antes, a Marinha já tinha informado que instaurou um inquérito administrativo para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades sobre o caso.

Juiz prorroga prisão domiciliar de detentos que estão no grupo de risco da Covid-19 no MA

0

A 1ª Vara de Execuções Penais de São Luís (1ª VEP) prorrogou por mais 30 dias, a prisão domiciliar para presos do regime semiaberto que se enquadram no grupo de risco por conta da pandemia do novo coronavírus.

Pertencem ao grupo idosos, hipertensos, portadores de diabetes, doenças cardiovasculares, respiratórias ou renais crônicas, portadores de HIV, mulheres grávidas e lactantes.

A prorrogação foi assinada pelo juiz Márcio Castro Brandão, titular da vara. A medida atendeu a um pedido da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) que teme risco de contaminação da Covid-19 nos presos e servidores da pasta.

Além disso, também foram consideradas as altas taxas de casos da doença que levaram a adoção de medidas restritivas como o ‘lockdown’ (bloqueio total) na Grande Ilha de São Luís e o estado de emergência em saúde declarado pelo Ministério da Saúde.

Ao todo, 70 internos de 10 unidades prisionais de São Luís tiveram direito a prisão domiciliar. Com isso, os detentos não deverão se ausentar o endereço indicado à unidade prisional sem justificativa ou autorização do juiz, uso de monitoramento eletrônico e apresentação espontânea à unidade prisional, no dia seguinte ao fim da vigência da portaria.

Caso as medidas sejam descumpridas, o mandado de prisão será expedido e um processo disciplinar será aberto por falta grave. O interno também terá benefícios suspensos e se for necessário, será regredido ao regime fechado.

Não estão sendo beneficiados com a saída temporária os internos que não apresentarem boa conduta carcerária ou tiverem com mandado de prisão provisória. Nesses casos, deverá a unidade prisional providenciar o devido isolamento para a proteção do apenado, em conformidade com o plano de contingência do Covid-19, estabelecido pela SEAP.