Início Site

CANDIDATO A PREFEITO EM TRIZIDELA DO VALE É SUSPEITO DE FRAUDE NO SUS

0

Sem trabalhar como médico por conta da corrida agenda de campanha, Deibson Balé, que que atua na Estratégia Saúde da Família (ESF), continua recebendo verba ilegal do SUS em Joselândia.

O candidato a prefeito de Trizidela do Vale, Deibson Balé (PDT), declarou essa semana, durante programa no horário eleitoral gratuito veiculado na TV Rio Flores, afiliada à RedeTV na região, que como médico sabe das necessidades da sua gente e afirmou que tem a receita para melhorar a saúde do município.

O problema, entretanto, é que a declaração de Dr. Deibson lembra o ditado popular “casa de ferreiro, espeto de pau”, expressão usada quando se quer dizer que uma pessoa hábil em determinada coisa, não usa essa habilidade a seu favor.

O prefeiturável do partido do prepotente senador Weverton Rocha é suspeito de fraude no Sistema Único de Saúde (SUS), que deveria assegurar o pleno atendimento médico-hospitalar à população. Deibson, que foi eleito vice-prefeito trizidelense em 2016, é médico do Estratégia Saúde da Família (ESF) no município de Joselândia, distante a 64,1 km de Trizidela do Vale.

Desde que registrou candidatura para disputar o comando da prefeitura trizidelense, Deibson que vem repetindo práticas do seu pai ficha suja – Jânio Balé, não conseguiu mais cumprir sua escala de plantão. Sem trabalhar como médico por conta da corrida agenda de campanha, o candidato a prefeito do 12, estaria recebendo verba ilegal do SUS em Joselândia.

Um levantamento junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES, a reportagem apurou que ele possui dois vínculos com o SUS: um como médico do Estratégia Saúde da Família (ESF) e outro como médico em radiologia e diagnóstico por imagem.

No primeiro vinculo, deveria trabalhar 40 horas semanais no Centro de Saúde Marly Sarney PSFSB, localizado na Rua Mendes Pereira S/N, no Centro de Joselândia – MA. Já no segundo vinculo, deveria cumprir jornada de 8 horas semanais na Unidade Mista Santa Marta, localizada na Rua Francisco Vieira, também no mesmo município. Os dois veículos totalizam carga horária de 48 horas semanais, nos dois estabelecimentos de saúde.

Há quase três meses atuando como candidato a prefeito, o médico deveria aparecer no cadastro de profissionais como desligado. Porém, conforme o SUS, Deibson embora não esteja exercendo suas funções – por conta dos compromissos de campanha, mesmo assim teve seu cadastro atualizado no mês passado, conforme documentos em anexo.

Enquanto Deibson faz campanha em Trizidela do Vale, quem precisa de atendimento em Joselândia, tem que recorrer aos municípios vizinhos. Os motivos: falta de médicos para atender a população. Ou seja, o médico- candidato que “sabe das necessidades da sua gente” é o mesmo que deixa milhares de pacientes sem atendimento em outra cidade.

CANDIDATO ONIPRESENTE
Engana-se quem pensa que Joselândia é o único lugar onde Deibson acumula vínculos como médico. A reportagem apura uma outra informação: a de que ele é uma espécie de onipresente, capacidade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

De acordo com informação que está sendo apurada, o candidato a prefeito de Trizidela do Vale, estaria trabalhando em mais de cinco municípios, entretanto, sem vínculo com o poder público e prestando serviço a empresas ou cooperativas que fornecem mão de obras para unidades de saúde. Os mistérios por trás desse outro escândalo iremos desvendar nos próximos dias. Aguardem!

‘Há discussão inicial sobre consórcio para comprar CoronaVac’, diz presidente de conselho de secretários estaduais de saúde

0
Na terça-feira (20), o governo federal anunciou negociações para compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. Um dia após o anúncio, o Ministério da Saúde afirmou que "não há intenção de compra de vacinas chinesas" contra a Covid-19

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e secretário estadual de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, afirmou nesta sexta-feira (23) que há “uma discussão inicial” sobre a possibilidade da criação de um consórcio para a compra da vacina CoronaVac.

Nesta semana, a compra da Coronavac pelo governo federal virou objeto de disputa política. O presidente Jair Bolsonaro desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e suspendeu a compra do produto desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac com o Instituto Butantan, de São Paulo. Por isso, alguns governos estaduais começaram a discutir alternativas.

Carlos Lula disse que, apesar do interesse, nada está definido. O secretário explicou que há um problema de orçamento para a compra da vacina, o que dificulta a compra dos lotes.

Lula disse que por conta dos problemas orçamentários e do valor das unidades da vacina, que custam entre U$$ 10 a 12 dólares, seria necessário um aval do Ministério da Saúde para a compra dos lotes. Por pessoa, seriam necessárias duas doses da vacina.

‘Há uma discussão inicial, muito inicial sobre esse assunto. Mas não há nada concreto ainda. Temos um problema de orçamento, o que também dificulta muito o processo. Além disso, temos secretários que estão interessados, e outros estão mais ‘radicais’. Por isso, temos que ter muita cautela e debater o assunto”, disse.

Uma reunião do Conass deve ser realizada na próxima semana, em Brasília, onde serão discutidos assuntos relacionados à pandemia de Covid-19, e a ideia da criação do consórcio também deverá entrar na pauta.~

O governo do Maranhão reforçou que existe a possibilidade de integrar o consórcio, entretanto, a prioridade é exigir que o Ministério da Saúde execute com eficiência o Programa Nacional de Imunização.

Corrida pela vacina

Nesta sexta-feira (23), o governador Flávio Dino (PCdoB) criticou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após o governo federal voltar atrás sobre a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac. Dino disse que pretende separar recursos estaduais, caso seja necessário, para comprar as doses.

“Essas são as duas vacinas que estão mais próximas de certificação final em nível internacional e também no Brasil. Qual é a posição do governo do Maranhão? É de que as vacinas disponíveis devem ser incorporadas ao Programa Nacional de Imunização e ofertadas a população com a maior velocidade possível”, disse o governador.

Em agosto, o governador havia anunciado que os estados do Nordeste, por meio do Consórcio Nordeste, teriam entrado em contato com o governo da Rússia para um possível acordo de compra da vacina Sputnik V, contra a Covid-19. Entretanto, as negociações do Maranhão com a Rússia não chegaram a um acordo.

No Brasil, os estados do Paraná e da Bahia foram os únicos a assinarem acordos de compra e desenvolvimento da vacina russa. A Sputnik V foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, em Moscou.

Os testes clínicos iniciais da vacina russa começaram em humanos em 17 de junho. Apenas 38 pessoas foram testadas e as pesquisas dos estudos não foram publicados pelas autoridades russas.

CoronaVac

Em setembro, o governo de São Paulo fechou o contrato com o laboratório chinês para a aquisição dessas 46 milhões de doses da CoronaVac com verba estadual. O acordo custou 90 milhões de dólares.

O governador João Doria (PSDB) declarou que buscava negociar com o governo federal para que elas sejam financiadas e distribuídas via Sistema Único de Saúde (SUS). Ele disse que caso não houvesse acordo com o Ministério da Saúde, o governo estadual iria garantir a vacinação para “os brasileiros de São Paulo”.

O governo estadual também anunciou a previsão de adquirir mais 15 milhões de doses até fevereiro de 2021, chegando ao total de 61 milhões com verba própria. A expectativa era que, com o dinheiro do governo federal, mais 40 milhões fossem adquiridas, chegando a 100 milhões até maio de 2021.

Na terça-feira (20), o governo federal anunciou negociações para compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. Um dia após o anúncio, o Ministério da Saúde afirmou que “não há intenção de compra de vacinas chinesas” contra a Covid-19.

Segurança da vacina

A CoronaVac está na terceira fase de testes. Na segunda-feira (19), o governo de São Paulo afirmou que 35% dos nove mil voluntários que participam dos testes no Brasil apresentaram reações adversas leves. Segundo o governo, não houve registro de efeitos colaterais graves e, por isso, a vacina pode ser considerada segura.

A informação faz parte de um estudo parcialmente apresentado em entrevista coletiva. O estudo, no entanto, não foi publicado em revista científica. Ainda não há dados sobre a eficácia da CoronaVac. Segundo o governo, essas informações serão apresentadas até o fim do ano.

Coronavírus no Maranhão

Nesta quinta-feira (22), o Maranhão chegou a 182.944 casos e 3.968 mortes pela Covid-19, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Nas últimas 24 horas, foram registrados 461 novos casos de infecção pela doença.

Dos novos casos, 61 foram na Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa), 96 em Imperatriz e 306 nos demais municípios do estado. Ao todo, foram contabilizados oito óbitos em oito municípios.

Até o momento, o Maranhão possui 3.418 casos sob suspeita. O número de recuperados subiu nesta quinta e chegou a 175.774.

Ficar em casa

Ficar em casa é importante porque, segundo as autoridades de saúde, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Cuidados              

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

AL-MA ouvirá esposa de Fábio Macedo sobre episódio de violência doméstica

0
Uma medida protetiva impede que Macedo se aproxime da companheira

A Procuradoria da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão informou nesta terça-feira (20), por meio de nota, que ouvirá a esposa do deputado Fábio Macedo (Republicanos), Lorena Macedo, a respeito de denúncia de agressão contra o parlamentar.

Por conta dos fatos, o republicano já é alvo de uma ação, que tramita na 2ª Vara Especial de Combate à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de São Luís. Uma medida protetiva impede que Macedo se aproxime da companheira.

Segundo a Procuradoria, o convite a Lorena Macedo será feito após o envio de cópia do processo relacionado ao caso, conforme requisição do órgão.

“A Procuradoria da Mulher esclarece, ainda, que após receber o processo, ouvir a vítima e efetuar a análise dos fatos, tomará as providências cabíveis, permanecendo à disposição, tanto da esposa do deputado, quanto de toda a sociedade, no combate à violência e discriminação contra a mulher”, diz o comunicado.

Nesta terça-feira (20), Fábio Macedo participou da sessão plenária na Assembleia e fez uma postagem nas redes, mencionando (mas não de forma direta) o caso.

“Eu espero em Deus e tenho certeza que terei as respostas que meu coração tanto anseia. Enquanto isso, continuo sereno na missão de trabalhar pelo povo do Maranhão. Que Deus nos dê uma boa semana de trabalho!”, escreveu.

Prefeita deve 30 meses de aluguel e Santa Casa de Cururupu ameaça suspender atendimento

0
"Prefeita Rosinha"

A situação dos serviços de saúde mantida pela prefeitura de Cururupu que já não é dos melhores, deve ficar ainda pior, é que a prefeita Professora Rosinha, como gosta de ser chamada, deve nada mais nada mesmo que R$ 660.000,00 (seiscentos e sessenta mil reais), à Santa Casa de Misericórdia, maior casa de saúde do município que alugou um espaço para o município onde funciona o SPA, o valor do débito corresponde a 30 meses de atraso, isso mesmo, faz 30 meses que a Prefeita Rosinha não paga um centavo de aluguel.

Sem poder mais manter o serviço sem receber o valor do aluguel, a direção da Santa Casa ameaça desativar o serviço. Se isso acontecer, a saúde do município mantido pela prefeitura entrará em colapso, uma vez que o SPA é o principal atendimento de saúde mantido pelo município.

A Prefeita Rosinha costuma se apresentar como uma prefeita responsável, especialmente com os recursos públicos, resta saber o que está acontecendo para que a prefeita não pague os 30 meses de aluguel atrasado, já que os recursos da saúde estão regulamente caindo nas contas do município.

Segundo uma fonte, ligada a direção da Santa Casa, afirma que Alcides Tavares, diretor geral da unidade de saúde, deu até a próxima segunda-feira (26), para que a prefeitura consiga pelo menos R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais), do contrário, irá se pronunciar publicamente, e suspender os serviços do local.

A Santa Casa de Misericórdia de Cururupu, assim como a maioria das Santas Casas do país passam por sérios problemas financeiros, principalmente porque a demanda é muito maior que a receita, e com uso do espaço por parte da prefeitura, a situação da maior casa de saúde da região só se agravou.

Essa não é a primeira vez que a prefeita Rosinha mostra total descaso com a saúde da população, recentemente o Ministério da Saúde bloqueou recursos do município para o programa saúde da família (PSF), por identificar diversas irregularidades no uso destes.

Recentemente uma auditoria do Denasus identificou diversas irregularidades no uso dos recurso da atenção básica no município, principalmente no que diz respeito a locação de diversos veículos em total desacordo com o contratado, além da empresa contratada, a qual ostenta diversos contratos com a prefeitura em diversas áreas, não possuir nenhum veículo em seu nome, todos os carros estão registado em nome de terceiros, um total afronta ao contrato e que deve levar a prefeita a responder na Justiça.

Vamos torcer para que a prefeita finalmente faça o pagamento, e assim evite que milhares de pessoas possam ficar sem serviço de saúde. Ao que parece, a única coisa que a prefeita está focada agora é em tentar uma reeleição, afinal de contas, seu grupo político, que se beneficia do poder, está fazendo de tudo para não perder as mamadas, embora enfrente um dos maiores índices de rejeição na região, a prefeita acredita que pode vencer.

Justiça começa a interrogar PMs réus por espionagem no Maranhão

0
A imagem em questão não representa os verdadeiros PMs réus no caso. Imagem apenas ilustrativa

O juiz Nelson Rêgo, da Vara de Auditoria da Justiça Militar, realizou nesta sexta-feira (23) a audiência de instrução para interrogatório do coronel Heron Santos e do major Antônio Carlos Araújo Castro, na ação penal em que ambos são réus por determinação de ação militar sem ordem superior e falsificação de documento.

No escândalo, segundo a acusação, os militares teriam usado a estrutura da Polícia Militar do Maranhão para espionagem de opositores do governador Flávio Dino (PCdoB), nas eleições de 2018.

A denúncia foi recebida pelo magistrado em julho do ano passado, e o interrogatório deveria ter ocorrido em fevereiro último. Contudo, acabou suspenso por força de liminar em habeas corpus concedida pelo desembargador Bayma Araújo, um dia antes da audiência.

Ao analisar o caso, porém, a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão denegou o pedido, em decisão unânime tomada em abril.

De acordo com o promotor Clodomir Lima Neto, da 2ª Promotoria de Justiça Militar de São Luís, o coronel e o major da PM do Maranhão teriam participação na emissão de ordem expressa aos batalhões da corporação, em documento oficial da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública), para monitorar opositores políticos de Flávio Dino naquele pleito.

Entre as ordens apontadas como ilegais, consta a determinação para identificação de políticos opositores “ao município” ou ao “Estado” que pudessem “causar embaraços no pleito eleitoral”, e de transferência de policiais envolvidos com política.

Um mês antes de virar réu por espionagem, apesar das graves suspeitas, apontadas inclusive em sindicância sigilosa aberta pela Polícia Militar, Heron Santos foi admitido pelo governador Flávio Dino na Ordem do Mérito do Alto Comando da Polícia Militar do Maranhão – Ordem Coronel PM Hermelindo Gusmão Castelo Branco, no grau “Alta Distinção”.

Em julho último, já réu e havendo o habeas corpus pelo trancamento da ação penal sido negado pela 1ª Câmara Criminal do TJ-MA, por ato do presidente do IPREV (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão), Mayco Murilo Pinheiro, o coronel Heron foi transferido, ex-officio, para a reserva remunerada da Polícia Militar, com proventos integrais mensais, calculados sobre seu subsídio em abril deste ano.

Governo limita em 50% a capacidade de funcionamento de cinemas e teatros no Maranhão

0

O governo do Maranhão publicou no Diário Oficial, a portaria que regulamenta a abertura de cinemas e teatros no Maranhão, durante a pandemia de Covid-19. O anúncio de reabertura dos espaços havia sido feito pelo governador Flávio Dino (PCdoB), na sexta-feira (16), durante entrevista coletiva.

Com a publicação do documento, os estabelecimentos já estão autorizados a funcionar. A portaria nº 77 determina que os espaços devem limitar, em até 150 pessoas por sessão, a lotação do público e a venda de ingressos deve ser limitada em até 50% da capacidade. O uso de máscara será obrigatório para todos os clientes e funcionários.

Para ter acesso aos locais, os clientes devem passar por uma triagem prévia onde devem responder perguntas sobre a presença de sintomas de infecção respiratória ou se tiveram contato com pacientes que testaram positivo para a Covid-19. Pessoas do grupo de risco ou que apresentem sintomas gripais não devem frequentar os espaços.

Também devem ser disponibilizados, na entrada, saída e em pontos estratégicos, locais adequados para a lavagem das mãos, álcool em gel 70% ou higienizadores que tenham efeito similar. O documento também torna obrigatório a aferição da temperatura corporal de todos os clientes na entrada dos estabelecimentos.

Além disso, as salas de exibição devem adotar um padrão de assento desocupado, entre dois assentos ocupados, em fileiras alternadas. Após o fim das sessões, deverá ser feita a higienização completa das salas.

Além disso, os cinemas e teatros devem:

  • Garantir um distanciamento físico de, no mínimo, 1,5m entre cada cliente, com marcações de distanciamento visíveis no chão;
  • Em caso de estabelecimentos localizados em Shoppings Centers, a temperatura dos clientes deverá ser aferida na entrada de pedestres e também pelo estacionamento;
  • Os espaços devem fixar em locais visíveis os procedimentos de lavagem e higienização das mãos de forma correta e, de distanciamento físico desejável;
  • Os cinemas e teatros devem promover campanhas de orientação em totens, displays e em projeções pré-show dos protocolos de segurança adotados contra a Covid-19;
  • Restringir o uso do elevador somente para pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção;
  • Promover ações que incentivem a compra de ingressos pela internet;
  • Instalar barreiras de proteção física (acrílico ou vidro) em caixas e mesas de atendimento nos estabelecimentos;
  • Garantir o distanciamento físico entre cada cliente, nas filas de atendimento e da bomboniere;
  • É permitido o consumo de alimentos na sala de exibição, com triagem na entrada do cinema.

Os protocolos de segurança sanitária foram regulamentados pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública do Estado do Maranhão (COE COVID-19), após a sugestão da Secretaria de Estado de Indústria Comércio e Energia (SEINC) e da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP).

O governo afirma que a reabertura foi autorizada por conta da diminuição da taxa de letalidade da Covid-19 no estado, tornando necessária a retomada gradual das atividades. As prefeituras municipais poderão editar outras medidas restritivas, caso sejam necessárias.

Reabertura da Feirinha de São Luís

Nesta quarta-feira (21), o prefeito de São Luís Edivaldo Holanda Jr. confirmou através de sua rede social o retorno da Feirinha São Luís, na Praça Benedito Leite, no centro de São Luís. O retorno acontecerá neste domingo 25 de outubro.

No texto, o prefeito ressaltou que os protocolos sanitários recomentados serão adotados. Além disso, Edivaldo ainda destacou a importância do programa no incentivo ao empreendedorismo, cultura, turismo e entre outros. Por enquanto, o evento terá um formato reduzido.

Coronavírus no Maranhão

O Maranhão chegou a 182.483 casos e 3.960 mortes por Covid-19 nesta quarta-feira (21), de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). Nas últimas 24 horas, foram registrados 463 novos casos de infecção pela doença.

Dos novos casos, 61 foram na Grande Ilha (São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa), 96 em Imperatriz e 306 nos demais municípios do estado. Ao todo, foram contabilizados dez óbitos em oito municípios.

Até o momento, o Maranhão possui 3.736 casos sob suspeita. O número de recuperados subiu nesta quarta e chegou a 175.201 no estado.

Ficar em casa

Ficar em casa é importante porque, segundo as autoridades de saúde, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Cuidados              

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

‘Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. O que precisamos criar é uma lei de união civil’, diz Papa Francisco sobre pessoas homossexuais

0
A fala de Francisco foi a declaração mais forte e clara já dada por um pontífice em defesa dos direitos da população LGBTQIA+

O Papa Francisco afirmou, em um filme lançado nesta quarta-feira (21) na Itália, que os homossexuais precisam ser protegidos por leis de união civil. A fala de Francisco foi a declaração mais forte e clara já dada por um pontífice em defesa dos direitos da população LGBTQIA+.

“As pessoas homossexuais têm direito de estar em uma família. Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deverá ser descartado ou ser infeliz por isso”, diz ele no documentário “Francesco”.

“O que precisamos criar é uma lei de união civil. Dessa forma eles são legalmente contemplados. Eu defendi isso”, complementa.

A fala do papa surge na metade do filme. Ele discorre sobre temas com os quais se importa, como o ambiente, pobreza, migração, desigualdade racial e de renda e pessoas mais afetadas por discriminação.

União civil, e não casamento

O Papa Francisco já demonstrou ter interesse em dialogar com católicos LGBTQIA+, mas geralmente suas mensagens são a respeito de acolher esses fiéis.

Ele já deu sinais velados que poderiam ser interpretados como uma opinião favorável à união civil.

Quando Cristina Kirchner era a presidente da Argentina, o país legalizou o casamento gay. Na época, ele ainda não era o papa, mas, sim, o cardeal Jorge Mario Bergoglio.

Segundo um texto de 2014 da agência “Religion News Service” (RNS), Bergoglio chegou a dizer que estava aberto a aceitar a união civil como uma alternativa ao casamento entre pessoas do mesmo gênero.

Filipe Domingues, vaticanista com doutorado pela Universidade Gregoriana de Roma, explica que quando ainda era cardeal, Bergoglio era a favor da união civil de pessoas do mesmo sexo: “Ele é contra o ‘casamento gay’ mas concorda que pessoas em união estável têm direitos. Isso não é novo. Mas declarou isso em documentário, como Francisco, pela primeira vez”.

Domingues ainda aponta que o papa foi mais explícito agora ao falar de “ser parte de uma família”. “Isso é importante”, destaca.

Quando era arcebispo de Buenos Aires, o papa foi contra a aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas defendeu algum tipo de proteção legal a casais gays.

Em 2014, o Papa Francisco deu entrevista ao jornal “Corriere della Sera” na qual disse que a Igreja ensina que casamento é entre um homem e uma mulher. Segundo a agência RNS, ele disse que entende que governos queiram adotar a união civil para casais gays por razões econômicas.

Segundo o “Corriere della Sera”, o papa disse que “é preciso considerar casos diferentes e avaliar cada caso em particular”.

O Vaticano então clarificou que Francisco falava de forma genérica e que as pessoas não deveriam interpretar as palavras do papa além do que elas dizem, segundo a RNS.

Estreia do documentário

O filme foi exibido no Festival de Roma nesta quarta-feira (21). No domingo (25), ele deverá passar nos EUA pela primeira vez durante o Savannah Film Festival.

O diretor Evgeny Afineevsky acabou as gravações em junho de 2020. O filme fala de temas como a pandemia, racismo e abuso sexual. Há temas geopolíticos também, como a guerra na Síria e na Ucrânia.

Na obra, o diretor conta a história dos sete anos de Francisco à frente da Igreja, acompanhando o religioso em viagens antes da pandemia de Covid-19 e abordando desde os escândalos sexuais que mergulharam a instituição em crise até características importantes do papa, como a defesa do meio ambiente e dos imigrantes e o discurso contra a pobreza e a desigualdade.

O papa aborda o direito dos homossexuais num trecho do filme que apresenta a história de Andrea Rubera, homem gay que adotou três crianças com seu parceiro.

Rubera diz que foi a uma missa celebrada por Francisco e deu a ele uma carta. Nela, explica que gostaria de ir com o companheiro e os filhos às missas em sua paróquia, mas temia que as crianças ficassem traumatizadas caso fossem hostilizadas.

O documentário não deixa claro o país em que Rubera vive. O homem conta que o papa, alguns dias após ter recebido a carta, telefonou para contar que ficou tocado pela mensagem. Francisco estimulou o casal a levar os filhos à igreja, mas também pediu que estivessem prontos para sofrer críticas.

O homem afirma que o Papa Francisco o incentivou a mandar os filhos à Igreja e nunca disse qual era a opinião dele sobre a família formada por pais gays e que, apesar de a doutrina não ter se alterado, a maneira de lidar com o tema mudou radicalmente.

“O que precisamos criar é uma lei de união civil”.

CNBB se posiciona

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) se manifestou, nesta quinta-feira (22), sobre os comentários do Papa Francisco defendendo uniões civis homossexuais.

Segundo a entidade, a fala demonstra “humanidade”, mas “não muda em nada do ponto de vista doutrinal ou dogmático sobre a família”. Segundo a igreja, o matrimônio só pode ocorrer entre homem e mulher.

A nota divulgada pela CNBB nesta quinta é assinada pelo bispo Dom Ricardo Hoepers, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da entidade.

No texto, ele afirma que “o Papa Francisco mais uma vez demonstra sua serenidade, voltando-se também às questões reais da vida cotidiana. Ele tem uma sensibilidade pastoral tão aguçada que nos impressiona com seu nível de humanidade”.

Porém, ao fim do texto, o presidente da Comissão para Vida e Família da CNBB diz que a fala, no contexto do documentário não altera o conceito da igreja católica sobre a família. Segundo a nota, o próprio Papa Francisco reforçou as diretrizes de que o matrimônio deve ser entre homem e mulher.

E esta é a forma como a Igreja Católica sempre definiu a família: apenas entre um homem e uma mulher, e historicamente se opõe a outras formas de união. Os ensinamentos católicos consideram atos sexuais entre pessoas de mesmo gênero um pecado, embora indiquem que pessoas LGBTQIA+ devem ser tratadas com dignidade.

Francisco, que lidera a Igreja desde 2013, adotou postura mais aberta no tema, mas não mudou dogmas da instituição. Disse que jamais poderia julgar um gay, sinalizou que os católicos devem acolher crianças de casais do mesmo sexo e já recebeu transexuais e defensores do aborto em audiências.

Alas conservadoras consideram as atitudes uma heresia. Em 2019, um grupo de 81 ultratradicionalistas publicou carta com acusações contra Francisco, com o objetivo de forçar sua saída do cargo.

A maioria das queixas se refere a um dos eventos mais polêmicos do pontificado de Francisco: o sínodo da família, realizado entre 2014 e 2015 para discutir mudanças na relação da Igreja, especialmente com divorciados e gays, abertura nunca digerida pela ala conservadora.

Esse grupo classifica Francisco como um papa que não vê “a atividade homossexual como gravemente pecaminosa”, que não se opõe ao aborto e que aproximou o Vaticano de protestantes e muçulmanos.

Um dos principais opositores ao casamento gay na Igreja é o papa emérito Bento 16. Em uma biografia autorizada publicada em maio, ele comparou a prática ao “anticristo”.

“Há um século seria considerado absurdo falar sobre casamento homossexual. Hoje, quem se opõe a ele é excomungado da sociedade. Acontece a mesma coisa com aborto e criação de vida humana em laboratório”, afirma o papa emérito. Para ele, “a sociedade moderna está formulando um credo ao anticristo que supõe a excomunhão da sociedade quando alguém se opõe”.

A declaração atual do papa Francisco foi considerada um “movimento muito positivo” pelo português António Guterres, secretário-geral da ONU e católico. “O secretário-geral tem se posicionado com veemência contra a homofobia e em favor dos direitos LGBT. Para ele, as pessoas nunca devem ser perseguidas ou discriminadas por conta de quem amam”, disse ele.

A fala de Francisco foi a declaração mais forte e clara já dada por um pontífice em defesa dos direitos da população LGBTQIA+

O primeiro país a permitir o casamento gay foi a Holanda, em 2001. Atualmente, 28 nações o autorizam, quase todas nas Américas e na Europa. Por outro lado, dezenas de países, especialmente na Ásia e na África, criminalizam as relações homoafetivas.

As relações homossexuais são criminalizadas em 70 países, segundo dados da Ilga (Associação Internacional de Gays, Lésbicas, Trans e pessoas Intersexo), do fim de 2019. Em seis deles, como Arábia Saudita e Sudão, elas podem ser punidas com pena de morte. Em outros 26, como Mianmar e Quênia, pode haver condenação a mais de dez anos de prisão.

No Brasil, o casamento civil entre pessoas de mesmo sexo foi autorizado após uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de 2011 e de uma resolução do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), de 2013.

Mesmo processo sendo contra o pai, denúncia de caseiro é muito constrangedora para Braide

0
Denúncia foi lembrada por Duarte durante debate no Imparcial

O candidato Duarte Júnior cometeu ato falho ao dizer durante debate do Imirante que a denúncia de uso de um funcionário da Assembleia Legislativa como caseiro de um sítio seria contra o ex-deputado estadual Eduardo Braide. Na realidade, o processo é contra o pai do candidato do Podemos, o ex-deputado e ex-presidente da Assembleia, Carlos Braide.

O processo da Justiça do Trabalho de 2011 diz respeito a denúncia de Antonio Augusto Moreno, funcionário de uma fazenda de Carlos Braide, cobrando o recebimento de 5% da arrecadação da fazenda no final do ano e o caseiro disse que recebia salários da Assembleia Legislativa sem nunca ter trabalhado efetivamente.

O curioso é que na defesa de Carlos Braide, ele alega que o Antonio Augusto não trabalhou pra ele na fazenda, mas intermediou a compra desta para seus dois filhos. Carlos Braide só tem dois filhos, logicamente, um é o deputado Eduardo Braide.

Mesmo a denúncia sendo diretamente contra Carlos Braide, isso só reforça o quanto o filhotismo, que é marca desta eleição, é pernicioso para a política. Um político realiza atos não republicanos na carreira, responde diversos processos e se esconde colocando o filho no lugar. Afinal, Braide não pode negar que só foi presidente da Caema por indicação do pai e só foi deputado estadual pela força política do pai.

Não há como dissociar todas as práticas irregulares que supostamente Carlos Braide cometeu com os benefícios colhidos por Eduardo Braide na vida pública. O único cargo que Braide pode se vangloriar de conseguir por esforço próprio é o de deputado federal, pela votação que teve em São Luís justamente pela campanha de prefeito em 2016. Nas eleições anteriores, teve grandes votações em cidades onde o pai faz política da forma tradicional.

Além disso, recaem acusações envolvendo o próprio gabinete de Eduardo Braide na Assembleia Legislativa no caso da Máfia de Anajatuba.

Defesa

Em sua defesa, Eduardo Braide não trata do caso e não defende o pai. Em momento algum ele diz que o pai é inocente e que não usou o cargo na Assembleia de maneira ilegal. O deputado se limita ao fato de que ele não é o polo passivo da Ação, então, não é ele o investigado e pronto.

“Nunca respondi a processo, muito menos na Justiça do Trabalho. Tem candidato que não se cansa de mentir. Espalhar Fake News é crime! Por isso, já estou acionando a justiça para derrubar mais uma mentira”, escreveu no Twitter ao expôr a certidão negativa, que por sinal, está cortada, sem que seja possível ao leitor verificar a data do documento.

Vale lembrar que na eleição de 2016, Braide usou uma certidão de 2015 para dizer que não era investigado, e acabou sendo desmentido depois.

‘Queremos ganhar até com presidiários, putas e bandidos’, diz vice de Higor em Chapadinha

0
Higor Almeida e Marcelo Marinheiro, candidatos em Chapadinha

Um áudio vazado do candidato a vice-prefeito, o vereador Marcelo Marinheiro, parceiro do professor e empresário Higor Almeida, candidato a prefeito em Chapadinha, está repercutindo negativamente na cidade e tem deixado eleitores pasmos.

Ciente da derrota, Marinheiro comenta o discurso do companheiro de chapa, Higor, e critica a aliada e candidata a vereadora do grupo, Katiane. Ela falou em ‘perder com dignidade’ e Marcelo refuta afirmando que buscará ajuda de ‘tudo quanto é lado’ para vencer as eleições municipais em novembro.

O candidato a vice contesta e diz categoricamente: “Nós não queremos perder com dignidade, nós queremos ganhar e queremos ganhar é com todo mundo, queremos ganhar até com os presidiários, com as putas de cabaré, com os bandidos, queremos ganhar é com todo mundo”.

Confira a seguir o áudio vazado na íntegra que mostra o nível do candidato:

Candidato a prefeito em Icatu, Walace Mendes, possui dezenas de processos e condenações

0
Só no site Jusbrasil estão registrados 20 processos contra Walace por diversas irregularidades.

Walace Azevedo Mendes é um dos candidatos à prefeitura de Icatu (município maranhense localizado a 124km de São Luís) pelo partido Republicanos. Agora o que muitos, certamente, não sabem é que este cidadão possui inúmeros processos nas costas, bem como condenações nos mesmos.

Só no site Jusbrasil estão registrados 20 processos contra Walace por diversas irregularidades. O mais recente deles, data do mês de outubro, é sobre Improbidade Administrativa.

Dentre esse montante de processos, está uma Ação Civil Pública contra Raimundo Freire Cutrim (ex-prefeito de Nova Olinda), Walace Azevedo Mendes (na condição de engenheiro) e a empresa PESE – Perfurações de Poços e Serviços – LTDA.

Segundo o processo, Raimundo Cutrim firmou um convênio com a Secretaria de Estado da Saúde para a construção de uma Substação Elétrica. Tal convênio envolvia um montante de R$ 100 mil, tendo o prefeito Raimundo contratado a PESE para execução das obras.

O responsável pelo aval legal da obra “na condição de Engenheiro Civil e detentor de conhecimento técnico”, foi Walace Mendes que assegurou: “a obra foi aceita, estando plenamente concluída, obedecendo os padrões técnicos exigidos, e esta em conformidade com o plano de trabalho e encontram em perfeitas condições, atendendo plenamente a comunidade”.

Mas tal aval foi dado equivocadamente, uma vez que a obra apresentava diversas irregularidades. Segundo o processo, “a obra foi executada de maneira inferior ao padrão técnico exigido, em desconformidade com o plano técnico, causando prejuízo ao erário pelo pagamento de serviços não executados e materiais não fornecidos, conforme vistoria realizada pela equipe técnica de fiscalização de contas”.

Com serviços não executados e uso de materiais de baixo padrão de qualidade, tanto Raimundo Cutrim quanto Walace Mendes foram condenados a ressarcirem o município por dano causado ao erário público, já que a responsabilização pelos atos ímprobos (como perda da função e suspensão dos direitos políticos) não era possível por conta da prescrição.

Ainda segundo o documento processual, fica claro que o caso, para além de todo o dano material e coletivo, trata-se de desvio de verba pública: “Trata-se, a rigor, de desvio de verba pública! Aliás, vale frisar aqui que todo aquele que gasta dinheiro público em desacordo com a lei causa lesão e deve arcar com o ressarcimento do erário”.

Clique aqui e confira a íntegra do processo.

Empresa de Walace não paga funcionários

A empresa Tricone Construtora e Servicos Eireli – EPP (CNPJ nº 13.239.216/0001-56), que tem como titular o empreiteiro Walace Azevedo Mendes, possui uma considerável quantidade de condenações na Justiça Trabalhista.

Conforme apurado nos sistemas da Justiça do Trabalho, a maioria das reclamações dos ex-funcionários são de salários atrasados. As condenações se deram em razão do não pagamento de saldo de salários, FGTS, aviso prévio, 13º salário, indenização compensatória (40%), férias, hora extra e algumas multas.

Somente na cidade Chapadinha, a empresa de Walace é ré em pelo menos 7 processos, sendo a maioria já com condenações a pagamento de verbas salarias.

Foi constatado também que existe até penhora em um veículo de propriedade do empreiteiro.

Também há inúmeras ações de cobrança feitas na justiça contra a empresa e o próprio empreiteiro.