Um laudo do IML ao qual o Blog do Gilberto Léda obteve acesso nesta semana aponta que Victor Yan Barros de Araújo, 25 – motorista que perdeu o controle do veículo na Avenida Carlos Cunha, capotou e caiu num barranco, matando quatro pessoas que estavam em uma festa no local, além do próprio amigo, Mauriccio Andrei Soares, não estava embriagado quando foi submetido a exame.

O acidente ocorreu por volta de 2h da manhã do dia 8 de setembro. Segundo o documento, o exame clínico do rapaz foi feito às 7h35 do mesmo dia.

Assinado pela médica legista Lívia de Melo Silva, o laudo, no entanto, aponta que ele não autorizou a coleta de sangue para pesquisa de alcoolemia.

No mesmo dia 8, a promotora Lúcia Silva Chagas, plantonista na 4ª Promotoria de Justiça Criminal da Capital, expediu parecer pela concessão de liberdade provisória do acusado. Mas pontuou em seu despacho que, além do relato policial apontando “hálito de álcool”, Victor Yan levava em seu carro um narguilé, um tipo de cachimbo de origem oriental.

A Justiça acabou não acatando o pedido do MP e ele segue com prisão preventiva decretada, apesar de ainda estar internado no Hospital São Domingos, em razão do acidente.

Fonte: Blog do Léda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui