Denunciado pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), o coronel Heron Santos, da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), já virou réu por espionagem de adversários do governador Flávio Dino (PCdoB) nas eleições de 2018.

A denúncia foi recebida ainda em julho, pelo juiz Nelson Melo de Moraes Rego, da Auditoria da Justiça Militar do Maranhão.

O oficial já havia sido responsabilizado pelo caso numa sindicância interna da própria PM (reveja).

Segundo o MP, Heron Santos, identificado como “Coordenador das Eleições”, foi informalmente convidado, à época do pleito, pelo então comandante da PMMA, Jorge Loungo, para realizar um planejamento chamado “Operação Eleições 2018” . Mas, por iniciativa própria, teria exorbitado em sua atuação.

“Ignorando tal circunstância, entre os meses de março e abril de 2018, o denunciado CEL QOPM HERON SANTOS, sem qualquer ordem formal superior, determinou a ação militar na “Operação Eleitoral 2018”, tendo, inclusive elaborado a planilha intitulada “LEVANTAMENTO ELEITORAL”, na qual o denunciado ordenou que os ‘Comandantes de Área deverão informar as lideranças que fazem oposição ao governo local (ex-prefeito, ex-deputado, ex-vereador) ou ao governo do Estado, que podem causar embaraços no pleito eleitoral’, disse o Ministério Público.

FONTE: Blog do Léda 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui