Coronel da Polícia Militar: Marco Antônio Terra

Na última sexta-feira (13), a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP) decidiu afastar o Coronel da Polícia Militar Marco Antônio Terra. Ele é investigado após uma denúncia de que teria liberado o próprio filho de uma blitz na Avenida dos Holandeses, em São Luís.

Além da liberação facilitada pelo coronel, a investigação busca esclarecer também o fato de que o rapaz saiu da barreira policial conduzindo uma viatura da própria PM, que estava sem o adesivo da corporação.

O secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, afirmou que o caso está sendo apurado. Por meio de nota oficial, a Polícia Militar informou “que determinou a imediata abertura de procedimento administrativo para apuração dos fatos e adoção das providências legais e administrativas cabíveis”.

O fato, ocorrido em 4 de dezembro de 2019 durante uma blitz de rotina na Avenida dos Holandeses, no bairro Ponta d’Areia, na capital, só veio chegar ao conhecimento do Comando Geral da Polícia Militar e da Secretaria de Segurança Pública nesta semana.

No momento da abordagem policial rotineira, o filho do coronel, de 23 anos, que não teve a sua identidade revelada, estava dirigindo uma caminhonete quando foi abordado pelos policiais. Ao apresentar os documentos, os policiais descobriram que o filho do coronel não possuía Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Além disso, foi constatado ainda que o veículo que o filho do coronel dirigia pertencia a própria Polícia Militar, pois o adesivo que deveria estar colado no carro havia sido arrancado.

Os policiais militares já estavam prontos para encaminhar o filho do coronel para a delegacia a fim de prestar depoimento, quando ele ligou para o pai e foi liberado. O jovem ainda saiu dirigindo o carro da PM que estava descaracterizado.

Crimes anteriores

Esta não é a primeira vez que o nome do coronel é envolvido em “polêmicas”. Em 2017, o coronel Terra também foi alvo de investigação ao agredir uma soldado da Polícia Militar dentro do Comando Geral da corporação em São Luís.

Segundo o boletim de ocorrência registrado pela delegacia, as agressões teriam sido cometidas pelo coronel Marco Antônio Terra, que de acordo com a delegada titular Wanda Moura, estaria em um relacionamento amoroso com a vítima.

Até hoje o inquérito deste caso não foi divulgado e não há informação de qualquer punição contra o coronel Terra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui