O mês de janeiro ultrapassou a média histórica de precipitação pluviométrica, conforme anunciado pelo Laboratório de Meteorologia (Labmet), do Núcleo Geoambiental da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

Com as chuvas intensas, a possibilidade de deslizamentos nas áreas de riscos só aumenta. Na área Itaqui-Bacanga, em São Luís, a situação é mais vulnerável na Vila Dom Luís. No Sá Viana, o problema é uma rua que se transformou em um “rio”.

A Rua da Mangueira, na Vila Dom Luís, apresenta risco de deslizamento logo no início da via. Uma grande lona azul foi colocada em cima da encosta, para evitar que a água da chuva penetrasse no solo. De acordo com informações dos moradores, a preocupação sempre é maior no período chuvoso. No entanto, até mesmo em época de muito calor, quem mora na área teme que o terreno ceda e provoque uma tragédia.

Os moradores não quiseram se identificar, mas disseram que já solicitaram ajuda do Poder Público, para que alguma providência seja tomada. Além da lona azul, outra foi colocada também na entrada da rua. Caso aquele terreno desmorone, uma casa será atingida, e outra, que fica no alto, consequentemente desabará.

Conforme as pessoas que residem ali, durante a chuva que atingiu São Luís na última quinta-feira (30), uma parte do solo cedeu, mas foi apenas um pedaço.

“Estava chovendo muito e dando muitos raios. O pessoal viu pedras caindo ladeira abaixo. Por isso que colocaram essa outra lona. Quem mora ali perto pode ser atingido se cair de vez”, expressou uma idosa, que reside na Rua da Mangueira há três décadas.

Rua alagada

Do outro lado da Avenida dos Portugueses, no Sá Viana, a Rua da Alegria se transformou em um “rio”. A via está quase toda alagada. Logo no início, a água aparentemente é limpa. Mas, seguindo mais adiante, adquire uma tonalidade esverdeada. Segundo informado pelos moradores, o problema afeta a localidade há aproximadamente 10 anos. Mesmo quando hão chove, fica repleta de água, que transborda sem parar.

Áreas de risco

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil já mapeou 60 pontos como áreas de risco a deslizamentos, alagamentos, inundações e desabamentos na capital maranhense. Na Vila Lobão, pelo menos em dois pontos as características do solo podem resultar em escorregamento do terreno. A situação é mais grave ainda no Bom Jesus, que fica no Polo Coroadinho, onde uma casa está sendo levantada em cima de uma encosta.

SALINAS DO SACAVÉM

Outra área vulnerável é a Salinas do Sacavém, no Polo Coroadinho. O terreno íngreme pode desmoronar a qualquer momento. Apesar dos riscos, pessoas também estão construindo casas embaixo desses locais, onde as voçorocas, como são conhecidas geograficamente, estão passando por um processo erosivo.

Para aquele ponto, a Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís já emitiu uma determinação para que obras emergenciais sejam realizadas naquele trecho de risco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui