Morreu aos 75 anos, nesta segunda-feira (16), o professor Luiz Alves Ferreira, conhecido no Maranhão como “Luizão”. Ele foi um dos fundadores do Centro de Cultura Negra do Maranhão e membro do Conselho Estadual de Igualdade Racial do Estado.

A informação foi divulgada pela Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão (SECMA) e a causa da morte não foi mencionada. O corpo de Luizao foi cremado em uma cerimônia reservada à família.

Luiz nasceu no antigo quilombo Saco das Almas, hoje Vila das Almas, no município de Brejo. Ele se formou em medicina pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), com mestrado em patologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-SP.

Foi secretário regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) por duas oportunidades, membro fundador do Centro de Cultura Negra (CCN) e da Academia Maranhense de Ciência. Doutor Quilombola, como era carinhosamente chamado, deixa esposa, dois filhos, nora e neta.

Em nota, a UFMA disse que o professor Luizão era professor aposentado do departamento de Patologia. “A Universidade se solidariza com familiares e amigos da docente e presta seus votos de profundo pesar”, finaliza a Universidade.

Veja abaixo a íntegra da nota da Comissão da Verdade da Escravidão Negra no Brasil:

“A OAB MA, através das Comissões de Direitos Humanos e da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, vem a público manifestar o seu pesar pelo falecimento, por motivos de saúde, do Dr. Luís Alves Ferreira, professor titular aposentado do Departamento de Medicina da UFMA.

Fundador do Centro de Cultura Negra (CCN), o prof. Luizão foi um histórico defensor das comunidades quilombolas, do respeito às religiões de matriz africana e um ardoroso lutador contra o racismo.

Sua vida permanecerá presente na história dos direitos humanos no Maranhão. Nossa solidariedade à família.”

São Luís (Ma), 16 de março de 2020

Comissão de Direitos Humanos

Comissão da Verdade da Escravidão Negra no Brasil

Neste último Carnaval, o professor Luizão foi homenageado pelo bloco afro Akomabu com o tema “Luizão: guerreiro quilombola, símbolo da luta contra o racismo”.

Luizão no carnaval de 2020 MA

Luizão deixa um brilhante legado na defesa dos direitos da população negra e quilombola.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui