O temporal registrado no início da tarde desta terça-feira (31) provocou inúmeros alagamentos em vários bairros de São Luís e em municípios da Região Metropolitana. A chuva invadiu ruas, casas, estabelecimentos comerciais e abriu crateras no asfalto.

Mesmo com as medidas de isolamento social impostas no estado e a baixa movimentação de pessoas na rua, foram registrados inúmeros congestionamentos causados por conta do alagamento de avenidas e ruas de São Luís.

Alagamentos

A chuva também provocou inúmeros transtornos para a população que precisou sair de casa nesta terça-feira (31).

A Avenida Colares Moreira no bairro Renascença, uma das mais movimentadas da capital, ficou completamente alagada após a chuvas. A água chegou a invadir parte do estacionamento de um shopping da região.

A chuva também pegou de surpresa consumidores de um supermercado na capital. A água chegou a invadir algumas sessões de produtos e algumas pessoas tiveram que subir nos caixas para esperar o volume de água baixar.

O Instituto Antônio Brunno no bairro Cohab, que acolhe pacientes com câncer, também foi invadido pela água da chuva. Alguns funcionários e voluntários registraram alguns prejuízos que foram contabilizados durante o temporal.

As redondezas da Lagoa da Jansen também ficaram inundadas após o temporal desta terça-feira (31).

Até um homem foi flagrado nadando na região alagada em plena Avenida dos Holandeses na capital.

Jacaré é flagrado em bairro

Os moradores do bairro Jardim Renascença, em São Luís, foram surpreendidos com a visita de um jacaré após o temporal. O animal foi flagrado andando pelas calçadas das casas que são localizadas nas proximidades da praça da Lagoa da Jansen, na capital.

O fato inusitado chamou a atenção dos moradores que registraram a visita. Por meio de nota, o Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBMMA) informou que o jacaré apareceu na região por conta do alagamento da Lagoa da Jansen causado pelo volume de chuva registrado em São Luís.

De acordo com os Bombeiros, uma equipe realizou a captura do animal que foi encaminhado para o Centro de Triagem e Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui