O Primo de Luiz Henrique Mandetta, deputado federal Fábio Trad (PSD-MS), disse que se o ministro ouvir mais de Jair Bolsonaro, “haverá um genocídio no país”.

“Seja humilde o senhor em reconhecer que um médico está mais preparado para combater uma pandemia que um capitão reformado”, postou o parlamentar no Twitter.

Mais cedo, em entrevista à Jovem Pan, Bolsonaro cobrou “humildade” do ministro da Saúde, deixando claro que sua relação com Luiz Henrique Mandetta está desgastada.

“O Mandetta já sabe que a gente está se bicando há algum tempo. Eu não pretendo demiti-lo no meio da guerra. Agora, ele em algum momento extrapolou.”

Bolsonaro disse que não está ameaçando o ministro, mas avisou que outros cinco “já foram embora”. “Nenhum ministro meu é indemissível.”

Em seguida, afirmou que Mandetta “teria que ouvir um pouco mais o presidente da República”. “Ele diz que tem responsabilidade. Mas ele cuida da Saúde, o Paulo Guedes cuida da Economia. E eu entro no meio para que não haja atrito.”

“Não tenho nenhum problema com o Paulo Guedes, mas o Mandetta quer fazer valer muito a vontade dele. Pode ser que ele esteja certo, mas tá faltando um pouco mais de humildade para ele conduzir o Brasil nesse momento difícil que nós nos encontramos.”

Bolsonaro disse que o clima de histeria contaminou muitos no Ministério da Saúde e que chegou a hora de colocar o pé no chão.

O presidente deu prazo até semana que vem para a retomada das atividades econômicas. “A semana que vem com toda certeza, se não começar a volta gradativa, vou ter que tomar uma decisão.”

Mais cedo, o primeiro do ministro, Fábio Trad, notou que “todos os dias, Bolsonaro faz um gesto de sabotagem ao trabalho do Mandetta”. “Hoje não foi diferente. Mandetta constrói; Bolsonaro destrói”, declarou o deputado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui