A Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) notificou mais um caso, em menos de uma semana, de recebimento das ‘sementes misteriosas’ no estado. As sementes foram recebidos por uma moradora do bairro Flora Rica, localizado na periferia de Balsas, cidade a 810 km de São Luís. Este é o segundo caso notificado em menos de uma semana.

As sementes chegaram pelos Correios há cerca de 15 dias e foram plantadas em um único jarro. Com as notícias sobre o caso divulgadas na imprensa, ela reconheceu o produto e procurou a sede da AGED em Balsas, que recolheu o material. No envelope, o produto teria sido enviado da China.

Uma equipe do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que está na região realizando um trabalho de fiscalização, também recolheu as sementes que devem passar por análise.

De acordo com Cláudia Sponholz, chefe de inspeção, fiscalização e sanidade vegetal do Mapa, a orientação é que assim que o produto for recebido pelos Correios, ele não deve ser aberto ou plantado, já que as sementes não são naturais do Brasil e podem causar danos as produções.

“A orientação mais importante que nós damos é que essas pessoas não abram essa sementes e não plante. Que ela guarde na própria embalagem de onde ela veio, que coloque inclusive o envelope dos Correios no qual veio essa semente. Que ela deixe guardada já que é muito importante que a gente possa identificar pelo código de barras e pelo envelope de onde ela está vindo e qual a origem dessa semente. O mais importante é não abra e não plante. Quanto mais próximo de uma área produtora, como a região de Balsas, mais risco tem de introdução de alguma praga, alguma planta daninha, que não é natural do Brasil e que possa vir a contaminar alguma produção do Brasil”, explicou Cláudia Sponholz.

A AGED reforçou que nos 13 municípios da região sul do Maranhão existem escritórios da agência nos quais as sementes podem ser recebidas. A pasta reforça que as sementes não devem ser plantadas ou jogadas em lixo comum, já que podem estar contaminadas.

Outro

Na terça-feira (6), a AGED notificou o primeiro caso de recebimento das ‘sementes misteriosas’ em São Luís. O produto foi recebido, pelos Correios, por uma moradora do bairro São Francisco. Ela afirmou que recebeu o produto sem ter feito nenhuma compra ou solicitação. Ao perceber que se tratava das sementes, ela encaminhou o pacote sem violação, para o setor de Defesa e Inspeção Vegetal da AGED.

Em São Luís, os pacotes devem ser encaminhados imediatamente à Superintendência Federal de Agricultura do Maranhão (SFA/MA) ou a sede da AGED. Caso não tenha um escritório da agência na região, o cidadão pode ligar para a Ouvidoria da AGED (98) 999132-0441 ou da SFA-MA/MAPA (98) 3131-3407.

Sementes sob investigação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), afirmou que a origem das embalagens é de países asiáticos, como China e Malásia. Após análises nas sementes, foram encontrados fungos, ácaro e até possíveis plantas daninhas nas sementes misteriosas enviadas a moradores do país.

O governo afirma que os pacotes “supostamente” foram enviados de 4 países da Ásia. Moradores de Estados Unidos e Canadá também registraram casos semelhantes. A suspeita do governo brasileiro é que seja uma fraude relacionada ao comércio on-line.

1° caso das sementes foi notificado no São Francisco em São Luís

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui