Em editorial, revista atribui mortes e avanço da segunda onda de Covid-19 à falhas de governança da administração Modi

A velocidade de transmissão da Covid-19 na Índia deve fazer com que o país alcance um milhão de mortes até agosto, previu a revista médica “The Lancet”, em um editorial lançado no último fim de semana. A responsabilidade das mortes é atribuída ao primeiro-ministro Narendra Modi e seus erros na gestão da emergência sanitária, o que classifica como uma “catástrofe auto infligida”.

“Seu governo parecia mais decidido a remover as críticas do Twitter que tentar controlar a pandemia”, diz o artigo, ao culpar Nova Délhi por não prestar atenção ou tentar impedir o aumento sem precedentes de Covid-19 em todo o país.

De acordo com o editorial, as autoridades da Índia erraram ao permitir que festivais religiosos prosseguissem, apesar das advertências. Modi autorizou a realização do Kumbh Mela, festival religioso hindu que reuniu milhões de pessoas em 13 de abril, segundo a BBC.

O governo também foi irresponsável ao afirmar que a Covid-19 havia “acabado” e por retardar o início da campanha de vacinação à população. Até agora, menos de 2% da população de 1,3 bilhão de habitantes foi vacinada – uma “verdadeira catástrofe”, classificou o artigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui