Associação de Pós-Graduandos da UFRGS afirma que instabilidade nas plataformas do CNPq reflete situação do apoio à ciência no Brasil. Órgão diz que problema já foi diagnosticado.

Apagão de dados do CNPq afeta pesquisadores

A queda dos sistemas e plataformas  do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) deixou estudantes, pesquisadores e professores preocupados no Rio Grande do Sul. A indisponibilidade, observada desde sábado (24), completa cinco dias nesta quarta-feira (28).

A pesquisadora Karen Kraemer, da Universidade Federal de Santa Catarina(UFSM) , conta que não conseguiu acessar o currículo Lattes, hospedado pelo CNPq, para realizar cadastros na Plataforma Brasil, uma base de registros de pesquisas envolvendo seres humanos.

“Este apagão foi horrível. Eu tenho uns 10 certificados para lançar e não estou conseguindo, porque apagou tudo”, relata.

O CNPq afirmou, em nota, que “o problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado” e que “os procedimentos para sua reparação foram iniciados”. Leia a nota abaixo.

O coordenador do Associação de Pós-Graduandos (APG) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Bruno Veber, avalia que o problema reflete a situação de como a ciência é tratada no Brasil. Veja vídeo acima.

“Isso é um reflexo do descaso, da falta de fomento e de um desmonte da ciência brasileira”, diz.

O pesquisador, doutorando em genética e biologia molecular, também manifesta preocupação com as bolsas pagas aos estudantes. O CNPq diz que o pagamento não será afetado.

“As bolsas dos pós-graduandos são seus salários. Os contratos de bolsas que a gente têm hoje em dia visam a exclusividade, a gente só pode ter dedicação exclusiva ao trabalho da pós-graduação, o foco nas teses e dissertações de doutorado e mestrado. A gente não tem essa possibilidade de trabalhar fora para ter um complemento de renda”, diz Veber.

O CNPq está entre as principais agências de fomento à pesquisa no país. A Plataforma Lattes, por exemplo, reúne quatro sistemas nos quais cientistas devem registrar seus currículos para conseguir bolsas de pesquisa e vagas em universidades, além de participar de editais e concursos. Além disso, existe a plataforma Carlos Chagas, referente às bolsas de financiamento de pesquisa.

Backup

Segundo o órgão, “existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas”, não existindo perda de dados na Plataforma Lattes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui