Um depósito foi fechado na cidade de Raposa, na Região Metropolitana de São Luís. Na cidade de Pinheiro, quatro estabelecimentos foram fechados e quatro pessoas presas em flagrante.

Depósitos clandestinos de gás de cozinha são fechados na Grande São Luís e no interior do Maranhão

Na manhã desta quinta-feira (29), um depósito clandestino de gás de cozinha foi fechado no Centro da cidade de Raposa, na Região Metropolitana de São Luís. E na cidade de Pinheiro, no interior do Maranhão, a polícia interditou, nessa quarta (28), quatro estabelecimentos comerciais, que não possuíam alvará ou autorização de funcionamento, e prendeu quatro pessoas em flagrante.

Na cidade de Raposa, a Polícia Civil do Maranhão apreendeu 62 botijões, que estavam armazenados de maneira inadequada e sem autorização das entidades competentes.

Segundo a polícia, a Delegacia Especial da Raposa recebeu denúncias anônimas, que relatavam a venda ilegal de gás de cozinha em um estabelecimento comercial na cidade. A Polícia Civil foi ao local e constatou que o ponto funcionava sem autorização da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e sem alvará do Corpo de Bombeiros funcionava, o que é exigido por lei.

O proprietário do estabelecimento não foi encontrado, porém, segundo a polícia, o responsável deve responder pelo crime de armazenamento ilegal de gás de cozinha previsto no artigo 56 da Lei de Crimes Ambientais. O material apreendido foi encaminhado para um local adequado para armazenamento.

Fiscalizações em Pinheiro

Já na cidade de Pinheiro, que fica a 333 km de São Luís, diversos estabelecimentos comerciais que realizavam armazenamento, revenda e distribuição de botijões de gás de cozinha foram fiscalizados.

O trabalho foi realizado, na manhã dessa quarta-feira (28), por policiais civis da 5ª Delegacia Regional, homens do Corpo de Bombeiros e do 10º Batalhão de Polícia Militar.

Durante as vistorias, foram interditados quatro estabelecimentos comerciais, que não possuíam nenhuma espécie de alvará ou autorização de funcionamento para exercer a atividade comercial de risco.

Na ocasião, houve a ainda a apreensão de 118 botijões de gás GLP-P13, que foram encaminhados para ficarem custodiados nos armazéns de uma distribuidora de produtos que atende a todos os regulamentos vigentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui