Especialistas também alertam que problemas financeiros e emocionais ajudaram número de fumantes a crescer durante a pandemia.

Parar de fumar pode multiplicar células saudáveis dos pulmões, mostra estudo

O tabagismo faz mal para o ser humano, seja um fumante ativo ou passivo, que inala a fumaça do cigarro. São 162 mil mortes todos os anos no Brasil.

Além disso, segundo especialistas, o problema também é econômico, porque custa 125 milhões de reais aos cofres públicos, para cobrir despesas diretas ou indiretas causadas pelo cigarro. O que equivale a 23% do que o país gastou com o enfrentamento a Covid-19 só no ano passado.

A Pesquisa Nacional de Saúde de 2019, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE) mostrou que os fumantes diários ou ocasionais eram 12,8% da população brasileira ou 20,4 milhões de pessoas, a maioria da área rural.

O Maranhão ficou abaixo da média nacional, com 11,3% das pessoas de 18 anos ou mais sendo usuárias de produtos derivados do tabaco. Os dados do inca alertam que a crise sanitária afetou o tratamento contra o tabaco.

A pandemia do novo coronavírus fez diminuir a procura por tratamento para parar de fumar. No primeiro quadrimestre a queda foi de 37%. De maio a agosto chegou a 75%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui