O ex-presidente Michel Temer confirmou sua participação na redação da nota divulgada nesta quinta-feira 9 em que o presidente Jair Bolsonaro recua das ameaças golpistas proferidas no 7 de Setembro.

O EX-PRESIDENTE MICHEL TEMER

No texto, Bolsonaro afirma que não teve a intenção “de agredir quaisquer dos Poderes”, dois dias depois de estimular a desobediência civil a decisões do Supremo Tribunal Federal. Durante discurso em São Paulo, também ofendeu diretamente o ministro Alexandre de Moraes, a quem chamou de “canalha”, e disse que o presidente da Corte, Luiz Fux, deveria “enquadrá-lo”, sob pena de o Judiciário “sofrer aquilo que nós não queremos”.

“Quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”, diz trecho do texto assinado por Bolsonaro nesta quinta. Ele também elogiou as “qualidades (de Moraes) como jurista e professor.

A nota foi divulgada após um almoço entre Temer e Bolsonaro.

“Eu vim (a Brasília), trouxe um esboço de uma declaração e submeti a ele (Bolsonaro) durante o almoço. Ele fez uma observação só e disse ‘olha, vou só fazer uma pequena observação aqui’. Então eu fui visitar o governador Ibaneis Rocha, do DF, por uns 50 minutos e volto para ver a nota com a modificação. Voltei e ele me deu a nota, que é essa nota que foi divulgada”, prosseguiu. “Penso que causou boa repercussão e que ele se convenceu, definitivamente, de que esse é o melhor caminho. Acho que Acho que foi bom para o País”, disse Temer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui