POR: FÁBIO CÂMARA

Ele figura entre no panteão mundial dos maiores jogadores de xadrez. Chamava-se Mikhail Tchigorin, hoje venerado na Rússia como o maior enxadrista de todos os tempos. Tchigorin teve curta, mas brilhante carreira enxadrística, em virtude de uma habilidade extraordinária no jogo tático e, sobretudo, no manejo de sua peça predileta, que era o cavalo. A peça mais importante do xadrez é o rei. O objetivo de todo o jogo é capturar o rei adversário e todas as demais peças devem ser empregadas, concomitante e estrategicamente, na defesa do seu rei e no ataque ao rei oponente. Depois do rei, a dama ou rainha se destaca em valor e importância por conta do seu poderio de alcance e variações possíveis de movimentos. A rainha pode movimentar-se para a frente e para trás como uma torre ou ainda nas direções diagonais, para frente e para trás assim como os bispos.

Entretanto, nem mesmo a poderosa rainha pode passar por cima de uma casa ocupada por uma peça! Somente os cavalos podem saltar, uma ou até duas peças, suas ou do seu opositor e alcançar a casa ou a peça a ser tomada! E é essa singularidade que quero destacar na presente leitura do tabuleiro eleitoral do Maranhão no que tange a eleição para o governo e para o senado da República.

A meu entendimento, dois dos maiores OBSTÁCULOS ao desenvolvimento do Maranhão são: 1- A AUSÊNCIA DE DEFINIÇÃO E DE SISTEMATIZAÇÃO DE UM PPROJETO DE ESTADO; 2- A FALTA DE SINTONIA e ARTICULAÇÃO ENTRE OS DIVERSOS SETORES PRODUTIVOS, a saber, Político Administrativo, a Iniciativa Privada (contido aqui agro business, indústria e comércio), O Terceiro Setor e a Alavanca da Pesquisa e Produção Científica. É fato histórico que o Maranhão já esteve na vanguarda nacional em períodos áureos da indústria brasileira. Fábricas como a Rio Anil, a Cânhamo e o Complexo Fabril, atestam essa pujança econômica e produtiva notável em alternados ciclos, cujo ápice e ocaso, infelizmente, não traduzem um planejamento efetivo de um projeto de estado sistematicamente pensado e que se projetasse para além de seu tempo e espaço.

Assim, face a nossa privilegiada localização geográfica, fomos inseridos no projeto Grande Carajás, e abrigamos a Alumar, temos o Porto do Itaqui, estamos contidos no projeto Polo Gusa e a Base Espacial de Alcântara nos projeta para o mundo e para a galáxia, sem, contudo, também representar UM NOSSO PROJETO DE ESTADO! Esse obstáculo necessita ser superado e só um CAVALO poderá executar esse movimento. A indústria, o comércio e o agro devem representar do boi, dos carros de bois, aos aviões e navios cargueiros assim como as potentes locomotivas puxando, movimentado, agilizando e transportando o progresso. Mas, se a política desvirtuar os rumos e/ou não estiver em sintonia com o onde e quando chegar, perde-se desde a otimização dos recursos até a consecução do todo.

Ao terceiro setor cabe a dupla função de operar controle e de dar feedback no curso dos processos além de articular a base da pirâmide no conjunto de várias ações. E porque é fato que vivemos num mundo de 0 e 1 (internet/computação), num mundo de DNA e de manipulação genética a partir do qual o boi até pode seguir puxando o carro sem, contudo, serem os bois de hoje e os carros presentes, em nada comparáveis a ambos de outrora! A ciência, ou melhor, as ciências, humanas e sociais e as múltiplas exatas, facilitam as caminhadas ao mesmo tempo que determinam quase todos os caminhos. Esse obstáculo necessita ser superado e só um CAVALO poderá executar esse movimento.

E assim como num tabuleiro de xadrez há 4 cavalos (2 brancos e 2 pretos). Eu arrisco apontar 4 “cavalos”, quatro grandes homens, quatro ilustres maranhenses capazes de superarem os dois obstáculos aqui elencados, quatro políticos dotados da competência e do domínio técnico necessários para conduzirem o Maranhão a um outro patamar: José Reinaldo Tavares, Ricardo Murad, Roberto Rocha e Edilson Baldez. A bandeira do Maranhão tem por cores PRETA, BRANCA e VERMELHA! Assim, não me perguntem quem seriam os cavalos pretos ou os brancos! O que, também a meu entendimento, seria de grande valia para o progresso do nosso Estado e para a promoção da qualidade de vida da nossa gente seria uma junção desses homens numa mesa cujo intuito maior e central seja tirar do vermelho esse nosso Maranhão de tantos potenciais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui