Início Site Página 155

Macron convoca reunião com G7 para discutir incêndios na Amazônia

0

O presidente da França, Emmanuel Macron, convocou, nesta quinta-feira (22), os países membros do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, embora a União Europeia também esteja representada) para uma reunião emergencial para discutir os incêndios que atingem a Amazônia há 18 dias.

“Nossa casa está pegando fogo. Literalmente. A floresta amazônica — o pulmão do planeta que produz 20% do nosso oxigênio — está em chamas. É uma crise internacional. Membros do G7, vamos discutir essa situação emergencial em dois dias”, disse Macron. 


O incêndio que atinge há 18 dias a floresta amazônica também foi motivo de preocupações de representantes da ONU (Organização das Nações Unidas). Ainda nesta quinta (22), o secretário da organização, António Guterres, disse estar profundamente preocupado com as queimadas. 

Ele reforçou que o mundo não pode mais arcar com os danos para uma das maiores fontes de oxigênio e biodiversidade.


Além dele, a presidente da Assembleia Geral da ONU, María Fernanda Espinosa, afirmou que está preocupada com os incêndios florestais pelo mundo e cobrou ações urgentes. Ela lembra que as florestas são cruciais para a conservação e para enfrentar a mudança do clima.

Fonte: R7 Notícias

“Como guerrear contra seus próprios filhos?”, pergunta Flordelis

0

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) emitiu uma nota na tarde desta quinta-feira (22), na qual rebateu pontos da investigação da Polícia Civil, lamentou a morte de seu marido, Anderson do Carmo, e questionou se alguém saberia lutar contra seus filhos.

“Não responderei mais nada para imprensa, a menos que meu advogado me diga que é extremamente necessário. Eu não sei e se alguém sabe, me ensine, por favor, como guerrear contra sues próprios filhos?”, disse a parlamentar.

Flordelis afirma estar doente e diz que vai para o trabalho se “arrastando”, pois precisa “honrar os votos” que recebeu e cuidar de sua família. De acordo com a deputada, ninguém pode destruir o que ela e Anderson construíram juntos.

A parlamentar também ironizou as suspeitas da Polícia Civil sobre a motivação do crime. Segundo a delegada Bárbara Lomba, da DHNSGI (Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí), questões financeiras da família podem ter sido uma das razões para a morte de Anderson.
“Falam que foi por dinheiro. Que dinheiro? As contas dele [Anderson] estão no vermelho, nem a casa em que moramos ainda não é nossa, pagamos o financiamento”, contou Flordelis em nota.

Fonte: R7 Notícias

Vídeo: Dep Hildo Rocha decola como foguete junto ao clã bolsonarista

0

O deputado federal do Maranhão, Hildo Rocha (MDB-MA), foi bastante elogiado pelo presidente da comissão de Relações Exteriores da Câmara Federal, deputado Eduardo Bolsonaro por sua atuação como relator do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) assinado entre o Brasil e os Estados Unidos.

O acordo segundo o presidente da comissão possibilitará a garantia de lançamento de foguetes e satélites americanos no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), um dos municípios mais pobres do Brasil localizado no litoral do estado do Maranhão, governado pelo maior desafeto político do presidente Jair Bolsonaro, o governador comunista Flavio Dino

O relatório da lavra do deputado Hildo Rocha, foi fundamental para aprovação da matéria que agora seguirá para votação no Senado Federal, cujo relato caberá ao senador maranhense Roberto Rocha do PSDB.

De acordo com o deputado maranhense, o acordo é para dar a devida garantia ao governo estadunidense que sua tecnologia não seja copiada ilegalmente. Ele não vê risco de perda de soberania do Brasil e acredita que com a aprovação no Senado o Brasil entrará no restrito mercado de lançamento de foguetes e satélites para outros países.

O deputado afirmou que o Centro de Lançamento também poderá lançar satélites e foguetes de outros países.

Na oportunidade, o deputado Eduardo Bolsonaro criticou a imprensa dizendo que tudo de bom que acontece no país entra na cota dos ministros da justiça e da economia e que para Bolsonaro só restam as críticas (veja no vídeo)

Segundo políticos ligados ao núcleo duro do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Hildo Rocha se habilitou para fazer parte núcleo de apoio do presidente.

OTHELINO NETO SE DESTACA COMO PRESIDENTE DA ALEMA

0

O Blog busca sempre de maneira imparcial trazer as informações a todos os maranhenses, elogiando ou criticando o desempenho dos políticos quando necessário, temos acompanhando de perto a gestão do Presidente da ALEMA, o Deputado estadual Othelino Neto, esse jovem maranhense que tem se mostrado uma grande liderança política no estado.

O presidente tem demonstrado ter uma clara percepção política que o Estado do Maranhão precisa se robustecer para consolidar seu projeto de ampliação e democratização das oportunidades de emprego e renda como forma racional para melhorar seu IDH, principalmente nos municípios mais pobres. Que é preciso criar um modelo de desenvolvimento no Estado onde o trabalho e a produção de bens e serviços motorizem o crescimento econômico com inclusão social e proteção ao meio ambiente.

Além de entender que uma das formas inteligentes de tirar o Maranhão da pobreza é delinear políticas baseadas na economia solidária. É o trabalho que tem o condão de redimir as desigualdades sociais, por isso deve ser garantido a todos os maranhenses, de uma forma ampla e igualitária, ao mesmo tempo que se afasta do chamado “pobrismo” (termo cunhado pelo cientista político Roberto Mangabeira Unger), como forma reprodutora da miséria.

 Othelino acredita que o apoio governamental, o espírito de solidariedade, a injeção de conhecimento e a inovação tecnológica permanente, serão capazes de impulsionar uma nova forma de desenvolvimento do Estado.

Bolsonaro vai privatizar Parques de Jericoacoara e Lençóis Maranhenses

0

O governo de Jair Bolsonaro prevê colocar em concessão à iniciativa privada cerca de 20 unidades de conservação ambiental que estão sob responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade.

Os primeiros parques que devem ter administração transferida para a iniciativa privada são os parques de Jericoacoara, no Ceará; Lençóis Maranhenses, no Maranhão; Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, e Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul. Juntas, as quatro unidades de conservação recebem cerca de 450 mil visitantes, por ano.

De acordo com informações do ministério do Meio Ambiente, e publicadas no site do jornal Estadão, o objetivo do governo é de finalizar as concessões até o final do ano.

Organizações socioambientais, como Greenpeace, são contra a medida que, para elas, são classificadas como retrocesso nas políticas de proteção ambiental no país.

Além disso, o ministério do Meio Ambiente deve rever todas as normas de criação das mais de 300 unidades de conservação ambiental com objetivo de facilitar a exploração comercial das áreas.

Este ano, o governo cortou todas as emendas parlamentares que foram direcionadas ao ministério do Meio Ambiente, previstas no orçamento federal. O ICMBio teve seus recursos cortados em mais de R$ 60 milhões e o IBAMA, em R$ 89 milhões.

Fonte: Revista AZ

PF investiga pagamento de propina da Odebrecht a ex-ministros

0

A PF (Polícia Federal) iniciou na manhã desta quarta-feira (21), a 63ª fase da operação Lava Jato, que investiga pagamento de propina a dois ex-ministros de governos do PT (Partido dos Trabalhadores) por parte da Odebrecht. Os envolvidos eram identificados como “Italiano” e “Pós-Itália”.

Em depoimentos, executivos da Odebrecht disseram que o codinome “Italiano” se referia a Antônio Palocci e “Pós-Itália” a Guido Mantega.  

As autoridades cumprem dois mandados de prisão temporária e 11 de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia. Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba-PR. 

Além dos mandados, a Justiça também determinou o bloqueio de ativos financeiros dos investigados no valor de R$ 555 milhões.

Segundo o MPF (Ministério Público Federal) no Paraná, os investigados são Maurício Ferro e Nilton Serson. Bernardo Gradin, ex-presidente da Brasken, também é alvo de buscas.

Mauricio Ferro, Bernardo Gradin e Newton de Souza foram denunciados pela prática dos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro, ao passo que Guido Mantega foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e Antônio Palocci pelo crime de corrupção passiva.

Palocci e Mantega teriam agido para favorecer os interesses da Brasken. Mantega teria pedido a Marcelo Odebrecht o pagamento de propina no valor de R$ 50 milhões como contrapartida para a edição de MPs.

“O pedido foi aceito por Marcelo Odebrecht e pago pela Braskem, por meio do Setor de Operações Estruturadas, contabilizando-se o valor de propina na planilha Pós Itália. Esta era uma espécie de contabilidade informal de propina da relação ilícita mantida entre a Odebrecht e Mantega, criada como continuação da Planilha Italiano, referente à relação ilícita que era mantida entre a Odebrecht e Palocci”, diz o MPF.

Os suspeitos presos serão levados para a sede da PF em São Paulo, e depois para a para a Superintendência do Paraná, onde serão interrogados.

A PF afirma que os valores da propina eram anotados em uma planilha chamada de “Programa Especial Italiano”. O pagamento seria realizado em troca de aprovação de MPs (medidas provisórias) que instituiriam um novo refinanciamento de dívidas fiscais e permitiriam a utilização de prejuízos fiscais das empresas como forma de pagamento. 

Segundo as autoridades, “há indicativos de que parte dos valores indevidos teria sido entregue a um casal de publicitários como forma de dissimulação da origem do dinheiro”.

Fonte: R7 Notícias

Privatizações vão começar pelos Correios, diz Bolsonaro

0

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quarta-feira (21) que as privatizações anunciadas na terça-feira (20) pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, começarão pelos Correios e fazem parte do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos). Para Bolsonaro, o processo de privatização deve ser “bastante longo” por depender do aval do Parlamento.

“A lista do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) para o processo de privatização começa pelos Correios, o resto não lembro de cabeça”, afirmou Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada, pela manhã.

Indagado por jornalistas se considera que a privatização poderia ocorrer este ano, Bolsonaro respondeu que “a privatização dos Correios passa pelo Congresso”. “É um processo bastante longo”, avaliou.

Na terça, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo deve anunciar nesta quarta-feira a privatização de 17 empresas. “E nós achamos que vamos surpreender. Tem gente grande aí que acha que não será privatizado e vai entrar na faca”, disse o ministro, que afirmou, em seguida, que “ano que vem tem mais”.

“Nós vamos seguir (com as privatizações), é um tempo bom, vai dando certo. Achamos que quatro anos é um tempo bom, faltam três anos e meio, dá tempo ainda”, disse o ministro. “Essa fusão da Embraer com a Boeing é um negócio extraordinário. Se conseguirmos fazer mais duas ou três grandes fusões de grandes empresas brasileiras.”

Fonte: R7 Notícias

“Estava pronto para incendiar o carro”, diz Witzel sobre sequestro

0

Autoridades do Estado do Rio de Janeiro se reuniram com o governador Wilson Witzel (PSC) na tarde desta terça-feira (20) para falar com jornalistas sobre o sequestro de um ônibus na ponte Rio-Niterói. De acordo com o governador, o sequestrador estava pronto para incendiar o veículo, pois tinha pendurado diversas garrafas com gasolina e segurava um isqueiro.

Witzel falou na entrevista que fez uma oração após a morte do sequestrador para agradecer as vidas salvas. Ele também afirmou que falou com familiares do homem para tentar saber o que poderia ter motivado a ação.

“Estamos acolhendo a família do agressor. A mãe está muito abalada, se perguntando onde errou e eu disse que nós vamos ajuda-la a superar esse momento difícil”, falou.

Maurílio Nunes, tenente-coronel da PM e comandante do Bope (Batalhão de Operações Especiais), disse que a decisão de utilizar um atirador de elite para conter o sequestrador foi tomada em um gabinete de crise montado no local.

“A psicóloga traçou o perfil dele a partir de conversas com as vítimas que foram liberadas. Ele dizia o tempo todo que queria parar o Rio de Janeiro. No momento que ele saiu com a arma apontada na cabeça de uma das vítimas, a gente iniciou a negociação tática. Só fizemos o necessário para conter a movimentação dele.”

Sequestrador baleado

O homem foi atingido após quatro horas negociando com a Polícia Militar. Durante a ação criminosa, o sequestrador fez 37 pessoas reféns em um ônibus durante a manhã desta terça.

Quando foi atingido, o homem havia descido do ônibus e arremessado um casaco em direção aos negociadores, no momento que foi ao chão.

Fonte: R7 Notícias

Proposta do PCdoB permite TODA forma de estrutura familiar

0

No dia 19 de agosto de 2019, o site Estudos Nacionais publicou uma notícia afirmando que um Projeto de Lei do PCdoB estaria pedindo a legalização do poliamor e do incesto (casamento entre pais e filhos) e que esse PL será votado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) no dia 21 de agosto de 2019.

O Projeto de Lei n. 3.369/2015, de autoria do comunista Orlando Silva, teria ficado conhecido como “Estatuto das Famílias do Século XXI” e legaliza o incesto no Brasil, além da união de “duas ou mais pessoas”.

No dia 21 de outubro de 2015, o deputado federal Orlando Silva (PCdoB) apresentou o Projeto de Lei 3.369/2015, que “Institui o Estatuto das Famílias do Século XXI“. Segundo a redação, a Lei institui em seu segundo parágrafo que:

“São reconhecidas como famílias todas as formas de união entre duas ou mais pessoas que para este fim se constituam e que se baseiem no amor, na socioafetividade, independentemente de consanguinidade, gênero, orientação sexual, nacionalidade, credo ou raça, incluindo seus filhos ou pessoas que assim sejam consideradas.”

Perceba que no texto do PL não é citado em nenhum momento o casamento entre pais e filhos e tampouco o casamento entre mais de duas pessoas. O que se propõe é o conceito de “Família” e não de “Casal”, mas como o texto da PL é meio vago, muita gente está interpretando como se a Lei – caso seja aprovada – venha a reconhecer o incesto e o poliamor.

O PL do deputado Orlando Silva foi apresentado meio que como uma resposta a outro projeto, apresentado uma semana antes pelo deputado federal Anderson Ferreira. O PL 6583/2013 trata do “Estatuto da Família” e define a entidade familiar como o núcleo social formado a partir da “união entre um homem e uma mulher” (aqui, sim, é usado o termo “união” entre duas pessoas”).

A verdade é que tanto no Código Civil (artigo 1.521) quanto no Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848) existem as chamadas situações impeditivas ao casamento, determinando quem não podem se casar. Basicamente, está proibida a união entre:

  • Ascendentes com os descendentes (parentesco natural ou civil); 
  • Afins em linha reta; 
  • O adotante com quem foi cônjuge do adotado e o adotado com quem o foi do adotante; 
  • Os irmãos, unilaterais ou bilaterais, e demais colaterais, até o terceiro grau inclusive; 
  • O adotado com o filho do adotante; 
  • As pessoas casadas; 
  • O cônjuge sobrevivente com o condenado por homicídio ou tentativa de homicídio contra o seu consorte;

Se o deputado do PCdoB realmente estivesse interessado em mudar o Código Civil através de sua PL, ele seria obrigado a inserir em seu texto “Essa Lei altera os artigos fulano e cicrano do Código Civil”.

Em uma publicação feita em seu perfil no Twitter, o deputado Orlando Silva diz que essa história de que o seu Projeto de Lei irá permitir o incesto e a poligamia é falsa e que irá processar quem inventou isso: 

Fonte: Linhares.Infor

É cada vez maior a chance de Lula ser solto.

0

Mesmo que o ex-presidente Lula tenha orientado seus advogados a não fazer o pedido para passar a cumprir pena em regime semiaberto (ele só quer sair se for inocentado), são cada vez mais fortes os sinais de que deverá ir para casa. Os representantes legais do petista entraram ontem com novo pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal. Dessa vez, alegam suspeição dos procuradores da força-tarefa da Lava Jato, com base no vazamento de conversas divulgadas pelo The Intercept, e apresentaram liminar que pede o restabelecimento da plena liberdade do seu cliente. Fontes da coluna com acesso aos ministros do STF avaliam que isso pode acontecer na próxima reunião da Segunda Turma, quando se concluirá o julgamento de suspensão da ação sobre a sede do Instituto Lula. A sessão vai ser realizada até o fim do mês.

A defesa de Lula argumenta que os procuradores de Curitiba aceitaram atuar sob comando de um “juiz-acusador”, com o objetivo de garantir a sua condenação “a qualquer custo”. Assim, segundo eles, o réu foi tratado como culpado, antes mesmo da instauração do processo. Essa argumentação, usada pelos advogados do ex-presidente desde o início, foi reforçada pelos vazamentos publicados pelo site dirigido por Glenn Greenwald, Veja, Folha de São Paulo, BandNews e El País. A decisão do Conselho Nacional do Ministério Público de abrir investigação sobre a conduta de Deltan Dallagnol flagrada nas mensagens de Telegram revela que as instituições não têm mais como ignorar a chamada Vaza Jato.

Um dos votos decisivos para que Lula vá para a rua é o do decano Celso de Mello, que antes votou contra a soltura do ex-presidente, mas deu indícios de que poderá mudar o voto, diante das últimas revelações.
A bola está com o STF justamente num momento em que seu presidente, o ministro Dias Toffoli, é alvo de críticas agressivas. Além dos ataques nas redes sociais, protestos de rua contra o Supremo estão marcados para o dia 25, com tom ainda mais radical que o verificado nos últimos atos. Apesar disso, Toffoli já sinalizou em entrevista a Veja que Lula pode realmente ser libertado.

Estudioso do trabalho das supremas cortes em vários países e de sua relação com a sociedade, o doutor em Direito Diego Arguelhes, professor associado do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), deu entrevista à BASE sobre esse momento delicado. “O caso do Lula é um problema porque não é um sinal de saúde do regime democrático que a aplicação ou não da lei por um juiz independente se torne a grande questão para a autoridade do tribunal”, diz ele. “Por mais que haja variáveis políticas envolvidas e que vá ter impacto político, o papel do Supremo nesse caso não é arbitrar narrativas sobre para onde o Brasil está indo. O papel do Supremo é aplicar a lei”.

Ao que tudo indica, estamos a poucas semanas desse momento-limite, em que o STF mostrará ao país se terá serenidade para fazer cumprir o que diz a legislação ou se vai ficar ao sabor dos bate-bocas políticos.

Fonte:  Diario do Centro do Mundo